Marcos Arcoverde/Estadão
Marcos Arcoverde/Estadão

Flamengo ganha do Fluminense e retorna à liderança do Carioca

Rubro-Negro faz 3 a 0 em clássico marcado por protesto contra Ferj

MARCIO DOLZAN, O Estado de S. Paulo

05 de abril de 2015 | 20h45

No Fla-Flu do protesto, deu Flamengo. Com gols de Jonas, Alecsandro e Matheus Sávio, o time rubro-negro derrotou o Fluminense por 3 a 0, neste domingo, no estádio do Maracanã, no Rio, manteve a liderança do Campeonato Carioca e ficou muito perto de terminar a primeira fase com a melhor campanha da competição. Já o Fluminense precisará derrotar o Madureira, nesta quarta-feira, para ficar com uma das vagas à semifinal.

Antes da partida, os times se perfilaram em conjunto e todos os jogadores levaram a mão à boca em forma de protesto pela suspensão a Vanderlei Luxemburgo. Os atletas também exibiam uma tarja preta presa à camisa. Nas arquibancadas, muitos torcedores repetiam o gesto do técnico do Flamengo colando fitas adesivas à boca. Fora do clássico por estar suspenso após criticar a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), o treinador se considera "amordaçado".

Para a partida, o Flamengo foi a campo sem o atacante Paulinho. O jogador, que começaria o seu primeiro jogo como titular após meses afastado por lesão, sentiu um desconforto muscular na coxa direita e nem sequer ficou no banco de reservas. Já o Fluminense repetiu a escalação das três últimas partidas.

O time rubro-negro foi melhor durante praticamente toda a partida. Bressan e Wallace eram firmes no miolo de zaga e Pará e Anderson Pico saíam com qualidade. O atacante Marcelo Cirino, mais pela direita, era bastante acionado. Coube a um volante, porém, a abertura de placar. Aos 17 minutos, Jonas recebeu na intermediária, girou o corpo e, de perna esquerda, bateu em curva no ângulo direito de Diego Cavalieri, marcando um bonito gol.

A situação do Fluminense, que já não era tranquila àquela altura, piorou aos 28 minutos, quando Fred foi expulso ao tomar o segundo cartão amarelo. A marcação do árbitro Wagner do Nascimento Magalhães, porém, foi excessiva. No lance, o centroavante foi calçado por trás e, na queda, tocou a mão na bola. Na saída do campo, o jogador fez duras críticas e disse que o Campeonato Carioca tinha que acabar.

Com um a mais em campo e com vantagem no placar, o Flamengo ampliou seu domínio de jogo. Alecsandro marcaria mais um ainda no primeiro tempo, mas o gol foi bem anulado por impedimento. Na etapa final, porém, ele deixaria o seu. Aos 10 minutos, o atacante recebeu pela direita, entrou na área e chutou rasteiro no canto esquerdo: 2 a 0.

O técnico do Fluminense, Ricardo Drubscky, tentou mudar o jogo promovendo as entradas de Marlone e Vinícius nos lugares de Gerson e Wagner, de atuação apagada. Mas, presos à marcação e sem um atacante de referência na frente, os dois jogadores pouco acrescentaram.

Já o Flamengo avançou suas linhas e tratou de tocar a bola no campo adversário. O time centralizou seus avanços pelo lado esquerdo, por onde Gabriel atacava buscando a inversão para as conclusões de Alecsandro e Marcelo Cirino. Alecsandro teve mais um gol anulado aos 40 minutos, mas Matheus Sávio fechou o placar aos 44 em chute por baixo de Diego Cavalieri.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 3 x 0 FLUMINENSE

FLAMENGO - Paulo Victor; Pará, Bressan, Wallace e Anderson Pico; Jonas (Frauches), Márcio Araújo, Luiz Antonio (Lucas Mugni) e Gabriel (Matheus Sávio); Marcelo Cirino e Alecsandro. Técnico: Deivid (auxiliar).

FLUMINENSE - Diego Cavalieri; Wellington Silva, Gum, Marlon e Giovani; Edson, Jean, Gerson (Marlone) e Wagner (Vinícius); Kenedy (Lucas Gomes) e Fred. Técnico: Ricardo Drubscky.

GOLS - Jonas, aos 17 minutos do primeiro tempo; Alecsandro, aos 10, e Matheus Sávio, aos 44 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Gabriel, Jonas, Bressan e Márcio Araújo (Flamengo); Edson (Fluminense).

CARTÃO VERMELHO - Fred (Fluminense).

ÁRBITRO - Wagner do Nascimento Magalhães.

RENDA - R$ 2.053.970,00.

PÚBLICO - 40.971 pagantes (46.080 no total).

LOCAL - Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.