Flamengo goleia o Madureira e conquista a Taça Guanabara

O Flamengo conquistou nesta quarta-feira pela 17.ª vez a Taça Guanabara, o primeiro turno do Estadual do Rio, ao derrotar o Madureira por 4 a 1, no Maracanã. Garantiu assim presença na grande final da competição. Como havia perdido a primeira partida por 1 a 0, o Rubro-Negro precisava vencer por diferença mínima de dois gols. E, com 13 minutos de jogo, já abria a vantagem que lhe assegurava o título. A decisão começou em ritmo eletrizante. Com um minuto, Souza, de cabeça, fez 1 a 0. O Madureira empatou logo em seguida, com Léo Fortunato aproveitando falha de Claiton. Mas o Flamengo marcaria mais duas vezes até os 13 minutos, com Souza, novamente de cabeça, e Renato Augusto. Com o apoio de sua torcida, poderia ter encerrado o primeiro tempo com goleada. O técnico do Madureira, Alfredo Sampaio, acusou o erro de estratégia ao escalar um time exageradamente defensivo. Logo aos 15 minutos, substituiu o volante Neto pelo atacante Josimar, mas já era tarde. No segundo tempo, o Madureira equilibrou a partida, mas deu espaços para os contra-ataques do Flamengo. Em dois deles, o goleiro Éverton teve de se esticar para evitar o gol. O atacante Roni ainda chutou uma bola na trave. Num outro contra-ataque, o jogo foi decidido. Roni passou a bola para Claiton, em condições de marcar, e o meia foi derrubado na área por Odvan. Renato cobrou bem, no lado direito do goleiro e não deixou mais dúvidas quanto ao resultado. "O Flamengo veio a campo para mudar a história da final. A torcida merece o título. Nâo faltou garra", disse Renato Augusto. "A Taça Guanabara representa muito e esse título vai ter muita repercussão, estou muito feliz", declarou o técnico Ney Franco. "O time foi guerreiro", completou. FalhasO Maracanã, reformado, parece muito vistoso, mas apresenta problemas na segurança. Nesta quarta, por duas vezes, durante o jogo, torcedores invadiram o gramado e tiveram de ser contidos por policiais. Drama O árbitro da decisão da Taça Guanabara, Marcelo de Lima Henrique, viveu momentos muito tensos antes do jogo. Ele foi assaltado quando seguia de carro de Itaboraí, no Grande Rio, para Ipanema, onde deixaria a mulher e dois filhos, de 12 e 8 anos, para ir ao Maracanã. Sob a mira de um revólver e ameaça de morte por mais de 20 minutos, o árbitro e seus parentes foram obrigados a parar o carro num terreno baldio. Marcelo revelou aos dois bandidos, que aparentavam ser menores, que era árbitro de futebol, mas não disse que apitaria o jogo entre Flamengo e Madureira. ?Graças a Deus levaram todos os nossos pertences, mas não tocaram em minha mulher e meus filhos?, disse Marcelo, que teve boa atuação na partida. FLAMENGO 4 X 1 MADUREIRAFlamengo - Bruno; Leonardo Moura, Irineu, Ronaldo Angelim e Juan; Paulinho, Claiton (Salino), Renato e Renato Augusto (Juninho Paulista); Souza e Roni (Leonardo). Técnico: Ney Franco. Madureira - Éverton; Claudemir, Léo Fortunato, Odvan e Amarildo; André Paulino, Neto (Josimar), Djair, Zé Augusto e Maicon (Alan); e Fábio Júnior (Assumpção). Técnico: Alfredo Sampaio. Gols - Souza, a 1 e aos 8 minutos, Léo Fortunato, aos 3, e Renato Augusto, aos 13 do primeiro tempo; Renato, aos 37 minutos do segundo tempo. Árbitro - Marcelo de Lima Henrique. Cartão amarelo - Claiton, Souza, Josimar, Djair e Maicon. Público - 57.508 pagantes. Renda - Não disponível. Local - Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.