Gilvan de Souza/Flamengo/Divulgação
Gilvan de Souza/Flamengo/Divulgação

Flamengo goleia o Madureira por 4 a 0 e pega Vasco na semifinal da Taça Guanabara

Rubro-negro fica em primeiro no Grupo B e, portanto, terá mando de campo e direito a empate no clássico

Thiago Rabelo, especial para a AE, Estadão Conteudo

19 Fevereiro 2017 | 19h18

Flamengo e Vasco se enfrentarão em um uma das semifinais da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca. Já classificado e com 100% de aproveitamento no Estadual, o time rubro-negro garantiu a primeira colocação ao derrotar o até então invicto Madureira por 4 a 0, neste domingo, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ), pela quinta e última rodada.

Definido em primeiro lugar do Grupo B, com 15 pontos, o Flamengo terá o direito do mando de campo e do empate no clássico contra os vascaínos, em segundo no Grupo C. Também classificado, o Madureira ficou na segunda posição, com 10 pontos. O adversário será o Fluminense, que também tem 100% de aproveitamento. Os dois confrontos da semifinal serão definidos em partida única, em local e dia a serem definidos pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj).

Apesar do placar elástico, o Flamengo teve um pouco de dificuldades no primeiro tempo para furar o bloqueio adversário. Com Willian Arão e Diego bem marcados, o time fez uso dos laterais e abusou do jogo aéreo. Somente na etapa inicial, foram 15 escanteios para os rubro-negros, que quase abriram o marcador em um deles, na tentativa de Mancuello. O goleiro Rafael Santos se atrapalhou um pouco, mas conseguiu afastar o perigo.

Em boa fase, o argentino surgiu novamente com um bom passe de cabeça para Guerrero. De primeira, o centroavante peruano chutou forte e viu o goleiro fazer boa defesa. A única chegada do Madureira foi em um lançamento para Júlio César, mas Alex Muralha estava atento e saiu do gol para impedir a finalização do atacante.

Aos 44 minutos, o lance que mudou a partida. Já com cartão amarelo por falta em Guerrero, Alex Moraes deu entrada dura em Diego, levou a segunda advertência e foi expulso. Com um a mais, no minuto seguinte o Flamengo abriu o placar com Diego. O meia ganhou disputa na área e chutou forte para fazer 1 a 0.

Com a vantagem no placar e em campo, o Flamengo voltou para o segundo tempo mais relaxado. O comportamento quase custou caro, quando Júlio César cruzou para Esquerdinha. Livre na área, o meia cabeceou no travessão e perdeu o gol de empate do Madureira.

Mas logo depois o Flamengo ampliou a vantagem. Aos 19 minutos, Trauco deu ótimo lançamento para Guerrero, que ganhou na corrida e chutou forte, de perna esquerda, para fazer 2 a 0. O terceiro veio na sequência. Aos 22, Felipe Vizeu fez boa jogada pela esquerda e passou para Mancuello fazer 3 a 0.

Entregue, o Madureira não criou nenhuma resistência contra a goleada. Após cruzamento de Éverton, Gabriel errou o cabeceio e Felipe Vizeu não aproveitou o rebote. Aos 35 minutos, um belo gol. Rafael Santos saiu da área para tirar a bola, mas deixou o gol livre. De primeira, Lucas Paquetá arriscou da intermediária e fez um gol de cobertura: 4 a 0.

Já com a cabeça no clássico contra o Vasco, o Flamengo apenas administrou o resultado que lhe garantiu vantagem de jogar pelo empate na semifinal da Taça Guanabara.

 

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 4 x 0 MADUREIRA

FLAMENGO - Alex Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Trauco; Rômulo, Willian Arão (Lucas Paquetá), Mancuello e Diego (Gabriel); Éverton e Guerrero (Felipe Vizeu). Técnico: Zé Ricardo.

MADUREIRA - Rafael Santos; Ruan, Diego Guerra, Jorge Fellipe e Alex Moraes; Rezende, Wanderson (Walney), Luciano Naninho (Vitinho) e Wellington Saci; Esquerdinha (Soares) e Júlio César. Técnico: PC Gusmão.

GOLS - Diego, aos 45 minutos do primeiro tempo; Guerrero, aos 19, Mancuello, aos 22, Lucas Paquetá, aos 35 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Diego e Guerrero (Flamengo).

CARTÃO VERMELHO - Alex Moraes (Madureira).

ÁRBITRO - João Batista de Arruda.

RENDA - R$ 109.430,00.

PÚBLICO - 4.734 pagantes (6.276 no total).

LOCAL - Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.