Flamengo mostra revolta com arbitragem de domingo

Diretor de futebol diz que Heber Roberto Lopes foi "incoerente" e pede ação do clube

AE, Agência Estado

15 de agosto de 2011 | 20h25

RIO - A revolta contra a arbitragem de Heber Roberto Lopes no empate por 2 a 2 diante do Figueirense, domingo, em Florianópolis, ainda tomava conta de dirigentes, comissão técnica e jogadores do Flamengo nesta segunda-feira. Segundo relato de Ronaldinho Gaúcho, o árbitro teria feito ameaças aos atletas flamenguistas durante a partida.

O diretor de futebol do Flamengo, Luiz Augusto Veloso, disse que o árbitro "foi no mínimo incoerente". Ele ressaltou que o clube deveria tomar alguma medida, "mas com cautela".

O técnico Vanderlei Luxemburgo foi mais contundente e disse que não se justificava a quantidade de cartões amarelos distribuídos aos jogadores do Flamengo - foram cinco ao todo. Por causa da punição, Ronaldinho Gaúcho e Renato vão desfalcar o time na quinta-feira, contra o Atlético-GO, no Rio.

"Simplesmente meu time se desestabilizou por completo e não conseguia ter uma organização. Os jogadores ficaram mais preocupados com o árbitro do que com o comportamento tático. Acho que se o árbitro teve essa conduta, ele teve uma contribuição no que diz respeito a isso. Mas é normal. Sempre digo que os árbitros não são culpados, mas quem os dirige", disse Luxemburgo, numa crítica direta ao presidente da Comissão Nacional de Arbitragem da CBF, Sergio Correa.

Procurado pela reportagem, Sergio Correa não se pronunciou sobre o caso. De acordo com a assessoria de imprensa da CBF, ele não falaria sobre as reclamações dos clubes.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato BrasileiroFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.