Alexandre Vidal/Flamengo
Alexandre Vidal/Flamengo

Flamengo não encanta, mas derrota o Boavista e garante classificação

Vitória por 3 a 1 assegura a equipe de Abel Braga na semifinal da Taça Guanabara

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2019 | 23h17

O Flamengo mais uma vez não fez uma partida de encher os olhos, mas conseguiu a classificação de forma antecipada para as semifinais da Taça Guanabara na noite desta terça-feira ao vencer o Boavista, por 3 a 1, no Maracanã, pela quarta rodada.

Ainda invicto, o Flamengo chegou aos dez pontos e está na liderança isolada do Grupo C, seguido pelo próprio Boavista, que tem seis, mas pode deixar a zona de classificação no complemento da rodada.

Garantido na semifinal, o time comandado por Abel Braga cumpre tabela na última rodada diante da Cabofriense, no próximo domingo, às 17 horas. No mesmo dia e horário, o Boavista recebe o Botafogo, em Saquarema.

Empurrado pela torcida, o Flamengo começou a partida em cima do Boavista e precisou de apenas três minutos para criar a primeira oportunidade. Henrique Dourado cruzou rasteiro e Vitinho desviou de carrinho pela linha de fundo. Depois disso, o time rubronegro ficou preso na marcação adversária.

O Flamengo foi voltar a assustar aos 21. Gabriel recebeu dentro da área e bateu firme. A bola desviou na defesa antes de sair rente a trave. Na cobrança de escanteio, Léo Duarte quase marcou de cabeça. O contra-ataque do Boavista quase foi mortal aos 29 minutos. Lucas desceu em velocidade e saiu na cara de César, mas bateu em cima do goleiro rubronegro.

Quando a torcida já dava os primeiros sinais de impaciência, o Flamengo abriu o placar aos 40 e com participação dos três jogadores que vinham sendo vaiados.

Rodinei lançou Vitinho nas costas da zaga, o atacante dominou e soltou a bomba no travessão. No rebote, Henrique Dourado dominou e bateu no canto de Rafael. Na sequência, Gabriel finalizou rasteiro o goleiro desviou pela linha de fundo.

Logo no primeiro minuto do segundo tempo, Arrascaeta recebeu de Gabriel e, na entrada da área, bateu fraco nas mãos de Rafael. O erro custou caro. Três minutos depois, Arthur finalizou colocado no cantinho de César, que não conseguiu evitar o empate do Boavista.

Aos 15, Abel Braga colocou Bruno Henrique no lugar de Vitinho, que saiu vaiado pela torcida presente no Maracanã. Logo depois, em um lance sem querer, Arrascaeta tentou o cruzamento e por muito pouco não marcou por cobertura. O uruguaio voltou a levar perigo em finalização na rede pelo lado de fora.

Antes de ser substituído por Uribe, Henrique Dourado exigiu boa defesa de Rafael em cabeçada. Com o passar do tempo, o apoio vindo das arquibancadas se transformava em vaias. Até que, aos 31 minutos, Trauco fez grande jogada individual e cruzou rasteiro. Uribe, meio sem jeito, desviou para o gol.

A partida ficou aberta nos minutos finais. Everton Ribeiro acertou o travessão e o Boavista respondeu em chute de Renan Donizete defendido por César. Aos 44 minutos, Everton Ribeiro cobrou escanteio e Rodrigo Caio fechou o placar de cabeça.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 3 X 1 BOAVISTA

FLAMENGO  César; Rodinei, Léo Duarte, Rodrigo Caio e Trauco; Piris da Motta, Jean Lucas (Everton Ribeiro) e Arrascaeta; Vitinho, Gabriel e Henrique Dourado (Uribe). Técnico: Abel Braga.

BOAVISTA  Rafael; Thiago Silva, Elivelton, Rafael Marques e Jean (Christiano); Douglas Pedroso (Thiago Mosquito), Vitor Faísca, Lucas (Tartá), Renan Donizete e Arthur; Dija Baiano. Técnico: Eduardo Allax.

GOLS:  Henrique Dourado aos 40 minutos do primeiro tempo; Arthur aos quatro, Uribe aos 31 e Rodrigo Caio aos 44 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO:  Rodrigo Carvalhães de Miranda

CARTÕES AMARELOS:  Gabriel (Flamengo); Arthur (Boavista)

RENDA:  R$ 716.169,00

PÚBLICO  32.650 pagantes (34.080 total)

LOCAL  Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.