Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Flamengo pega o Vitória para se distanciar da rabeira

Time carioca, que ocupa a 16ª colocação, terá diversos desfalques para o jogo em Volta Redonda (RJ)

LEONARDO MAIA, Agência Estado

11 de setembro de 2010 | 08h13

O momento é terrível para o Flamengo e, quando se pensa que pior não pode ficar, as notícias são ainda mais negativas. Precisando desesperadamente de uma vitória - em 11 jogos, o time contabiliza apenas um triunfo - o técnico Silas tem vários desfalques para lidar para o jogo contra o Vitória, neste sábado, às 18h30, no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.

Trata-se de um duelo direto para não cair para a zona de rebaixamento. Os baianos estão em 15º lugar, com 23 pontos, e os rubro-negros ocupam a 16ª colocação, com 22. Empate é mau negócio para ambos e uma derrota pode significar entrar na zona negra na próxima rodada.

Para buscar a primeira vitória sob o comando de Silas (duas derrotas e um empate), o Flamengo terá de superar a ausência de jogadores importantes, como o volante Willians, com dores musculares, o lateral Leo Moura e o atacante Diogo, ambos suspensos. Para a vaga do marcador, as opções são Maldonado e Kléberson. Na lateral direita, entra Rafael Galhardo. No ataque, Val Baiano e Diego Maurício lutam pela vaga.

"Sabemos que nosso momento no Campeonato Brasileiro é delicado. Não podemos ir para o campo pensando na falta de gols. Isso só irá nos atrapalhar. A única solução é seguir trabalhando forte", ponderou Diego Maurício, sobre a seca de gols do time, em particular dos homens de frente. O último atacante rubro-negro a marcar foi justamente ele, no empate contra o Avaí, em 21 de julho. E lá se vão mais de mil minutos de um ataque em branco.

Além desses desfalques, Silas decidiu barrar o meia Renato. Fora de forma por não ter passado por uma pré-temporada, o jogador está desgastado pela sequência de seis partidas desde seu retorno ao Brasil e será preservado para descanso e recondicionamento. Ele só deve voltar contra o Prudente, na próxima quarta, e mesmo assim entre os reservas.

"Tomamos essa medida por segurança. Ele não fez uma base. Em conjunto com o departamento médico, achamos melhor poupá-lo desse jogo, para que ele possa voltar sem se esgotar, sem risco de lesão", explicou o preparador física Emerson Buck.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.