Flamengo pega Resende no início da disputa da Taça Rio

Campeão da Taça Guanabara, time espera manter o ritmo na segunda fase do Estadual do Rio

Leonardo Maia, O Estado de S. Paulo

01 de março de 2008 | 13h20

Joel Santana gosta de dizer que no atual Flamengo não existem reservas ou titulares. Mais do que discurso para motivar jogadores, realmente a grande qualidade do time nesta temporada parece ser o bom elenco, que tem se mostrado fundamental para as últimas vitórias. Por isso, o técnico está confiante que mesmo com uma equipe mista, o Flamengo tem condições de disputar a Taça Rio em igualdade de condições com os adversários. A caminhada começa neste domingo, às 18h10, quando o time enfrenta o Resende, no Maracanã. Veja também: Vasco estréia diante do Boavista na Taça Rio "Não é porque ganhamos a Taça Guanabara que vamos largar a Taça Rio. Estamos mais perto do título do Campe FlamengoBruno; Luizinho, Leonardo, Thiago Salles e Egídio; Jaílton, Jônatas, Kléberson e Marcinho; Diego Tardelli e ObinaTécnico: Joel SantanaResendeMárcio, Valdir, Márcio Costa, Leandro e Vinícius; Beto, Márcio Gomes, Bruno Reis e Léo; Alexandro e Toni CarvalhoTécnico: Antônio Carlos RoyÁrbitro: Leandro Noel LaranjaEstádio: MaracanãHorário: 18h10onato Carioca que os outros concorrentes", pondera Joel. Uma rápida olhada no time que estará em campo valida a confiança do treinador. Tirando a zaga inteiramente reserva, o meio-campo e o ataque são fortes. "Uma equipe com Kleberson, Diego Tardelli, Obina, Jônatas não pode ser considerada reserva. Eles vão ter a oportunidade de jogar uma partida importantíssima, porque o Flamengo vai em busca do título da Taça Rio", discursa. O lateral-direito Luizinho, que tem a inglória missão de substituir o xodó da torcida Leonardo Moura, também mostra disposição em fazer valer a oportunidade de mostrar serviço. "Vamos entrar para ganhar. Queremos conquistar a Taça Rio para evitar uma final do Carioca." O jogo marcará a estréia do zagueiro Leonardo, contratado emergencialmente depois da fratura de braço sofrida por Rodrigo, que havia sido contratado para disputar a posição de titular com Ronaldo Angelim. Ele já havia ficado no banco contra o Cienciano. "Já foi emocionante ver a torcida do banco, na quarta-feira. É uma boa hora para entrar no time", diz Leonardo, para depois definir seu estilo. "Sei sair jogando, mas também dou chutão quando necessário."

Tudo o que sabemos sobre:
FlamengoEstadual do Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.