Flamengo protesta e afirma que não jogará mais na altitude

A diretoria do Flamengo protestou nesta quinta-feira contra as condições enfrentadas pelo clube na última quarta, no empate contra o Real Potosí, pela Libertadores - nesse jogo, disputado na Bolívia, alguns atletas passaram mal por causa da altitude (4 mil metros) e precisaram de auxílio médico."A prática esportiva, em condições não recomendadas pela medicina, faz do esforço físico um ato bárbaro, degrada a condição humana e coloca em risco a vida dos atletas", explicou o presidente Márcio Braga em nota oficial. "Não proibir jogos nessas condições é o mesmo que ser conivente com a dopagem." Braga ainda afirmou que o Flamengo não disputará mais nenhuma partida em locais com altitude. "Comunicaremos a CBF, a Confederação Sul-Americana (Conmebol) e a Fifa que não compareceremos aos jogos em altitude que comprometam a saúde dos atletas."Durante o jogo, os atletas do Flamengo contaram com o auxílio de um cilindro de oxigênio, que ficou no banco de reservas, próximo ao gramado. Até o goleiro Bruno, que pela sua posição não se movimenta como os outros jogadores, acabou caindo no gramado quando foi cobrar um tiro de meta.Pela Libertadores, o Flamengo voltará a jogar na próxima quarta-feira, contra o Unión Maracaibo, da Venezuela, no Maracanã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.