Flamengo se classifica ao vencer River

O Flamengo se classificou para a segunda fase da Copa do Brasil, ao derrotar o River-PI por 3 a 1, nesta quinta-feira à noite, no Maracanã, diante de pouco mais de 1.500 pessoas. Seu próximo adversário será o Ypiranga, do Amapá. O estádio vazio desmotivou as duas equipes e o jogo foi arrastado a maior parte do tempo. O Flamengo passou a ter o controle da partida logo aos 14 minutos, quando abriu o placar. O gol surgiu numa cobrança de falta de André Santos. A bola bateu na trave e, na volta, Wildinho, do River, tocou para trás, de joelho, enganando o goleiro de seu time, Carlos Henrique.No primeiro confronto houve empate por 2 a 2, em Teresina. Como uma vitória simples bastava para o Flamengo, a equipe começou atacando, sob a intensa chuva que caiu durante toda a noite no Maracanã. A lentidão de Dimba irritava o público e o Rubro-Negro parecia certo de que o River não surpreenderia. Com a vantagem de 1 a 0, diminuiu o ritmo e até permitiu boas oportunidades do visitante. Numa delas, Cleyton Cearense perdeu o gol na frente do goleiro Diego. Em outra, Cipó cabeceou a bola na trave.Enquanto isso, Alessandro e Dimba não se entendiam no ataque do Flamengo, embora o meio-de-campo produzisse bem. Aos 15 do segundo tempo, Emerson rolou para Júnior, que chutou da entrada da área para marcar o segundo gol. Num jogo sem grandes atrativos, o que mais chamou a atenção foi um cartão amarelo aplicado a Júnior Baiano, por falta que ele não cometera.A infração foi do meia Jônatas e o zagueiro argumentou com o árbitro Anselmo da Costa: "Não fui eu, eu juro, eu estava até longe do lance." Depois de consultar um de seus auxiliares, o árbitro voltou atrás e mostrou o cartão a Jônatas, desculpando-se com Júnior Baiano. "Pô, é tudo eu, tudo eu", protestou o zagueiro, quando saía do campo para o intervalo.No final da partida, Júnior Baiano voltou a aparecer. Mas para fazer o terceiro gol, aos 45 minutos. Ele aproveitou de cabeça escanteio cobrado por Fellipe Gabriel. Aos 46 minutos, Jean descontou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.