Gilvan de Souza / Flamengo
Gilvan de Souza / Flamengo

Flamengo tenta feito inédito e Cruzeiro quer confirmar vaga no Mineirão

Em 123 anos de história, nas oito vezes em que saiu derrotado em casa na primeira partida, sempre acabou eliminado

Fábio Grellet, Estadão Conteúdo

29 Agosto 2018 | 07h32

O Flamengo entra em campo nesta quarta-feira contra o Cruzeiro, pela segunda partida das oitavas de final da Copa Libertadores, no Mineirão, para tentar um feito inédito: conseguir reverter a derrota em casa por 2 a 0 no primeiro jogo e se classificar para a fase seguinte. Em 123 anos de história, nas oito vezes em que saiu derrotado em casa na primeira partida, sempre acabou eliminado. O rubro-negro precisa ganhar por 2 a 0 para levar o jogo para os pênaltis, ou vencer por qualquer outro resultado, por pelo menos dois gols de diferença, para se classificar sem a necessidade de pênaltis. A partida começa às 21h45.

O Flamengo terá o reforço de Lucas Paquetá, que cumpriu suspensão automática no jogo de ida, no Maracanã. "Conhecemos bem o Cruzeiro, que também nos conhece bem. Vamos ter o Paquetá para esse jogo, que é um ganho importante, pela relevância que ele tem para a equipe", afirmou o técnico Maurício Barbieri.

"Temos condições de criar essas chances contra o Cruzeiro. Temos que tirá-los da zona de conforto, mesmo em casa. Sabemos que temos um placar adverso para resolver. Antes de pensar no gol, temos que criar chances, trabalhar bola, conseguir espaços e aproveitar. Tenho certeza de que vamos ter chances. Queremos sair com a classificação", completou o técnico.

Ao chegar em Belo Horizonte, o meia Diego disse que o Flamengo criou uma estratégia para tentar a virada: "Temos que criar dificuldades com movimentação. Enfim, fazer aquilo que sabemos que pode dar certo. Temos uma estratégia montada e vamos tentar colocar em prática", afirmou.

Everton Ribeiro também deu sua receita: "Não dar espaços para o contra-ataque deles, que é forte. Temos que jogar com intensidade", afirmou. Para Réver, a ansiedade precisa ser controlada: "Essa ansiedade de sair para buscar o gol não pode nos atrapalhar. Temos 90, 95 minutos para buscar o resultado, e esperamos conseguir."

Em boa situação, o time mineiro treinou com portões fechados na terça-feira, mantendo o mistério sobre a escalação. Na lateral-direita, Edilson pode voltar ao time após se recuperar de uma edema na coxa direita, ou Lucas Romero será mantido? No ataque, Raniel e Barcos brigam por uma vaga.

Para o zagueiro Dedé, o Cruzeiro deve jogar como se não tivesse vantagem: "Da mesma forma que a gente entrou no Maracanã, a gente tem que entrar para este jogo. Está 2 a 0 para a gente, mas no começo, vamos entrar como se tivesse 0 a 0. Vamos trabalhar bastante, ter inteligência para o jogo. É um jogo de pouquíssimos erros, temos que fazer o máximo possível para não ter nenhum tipo de erro", afirmou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.