Flamengo: torcedores apedrejam a sede

A goleada sofrida pelo Flamengo no domingo (6 a 1 para o São Paulo), atuando em casa, na Ilha do Governador, trouxe mais prejuízos. Revoltados com o desempenho ruim do time, torcedores foram à sede do clube, na Gávea, e apedrejaram vidraças, na madrugada de domingo. O Flamengo segue próximo à zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e o clima no clube é de tensão. A crise, porém, não atingiu a comissão técnica, mantida por determinação do presidente Marcio Braga. A decisão, no entanto, poderá ser revista caso o Flamengo seja derrotado pelo Vasco, no clássico de sábado. Contrariando as previsões iniciais, a equipe não treinará esta semana fora do Rio em busca de tranqüilidade. A preparação para o jogo decisivo será realizado na Gávea, o que agradou ao técnico Andrade. Para ele, o momento é de superar as barreiras e reconquistar o apoio da torcida, com empenho e dedicação nos treinamentos e vitórias dentro de campo. ?Confio na capacidade da equipe. A fase não é boa, mas acredito que tudo vai melhorar?, declarou Andrade. O técnico do Flamengo está abatido com a seqüência de maus resultados. Ele lembrou que, em sua época de jogador, não se acostumou a perder tanto. Hoje, ele nada pode fazer dentro das quatro linhas, porém não perde a esperança, nem tampouco joga a toalha. ?Sou funcionário do clube e somente deixo o cargo se a diretoria quiser?.Andrade deixou bem claro que não sabe explicar a razão pela queda de produção da equipe. Ele disse que vai conversar com os jogadores mais experientes para saber o que está ocorrendo no grupo. O treinador descartou qualquer hipótese de boicote contra ele. ?Isso não existe?.Na companhia de Andrade, os dirigentes se reuniram nesta segunda-feira à tarde com o elenco, no vestiário, para cobrar vontade e determinação nas dez últimas rodadas do Brasileiro, a fim de evitar o rebaixamento. A diretoria, no entanto, negou que vá punir ou rescindir o contrato de qualquer atleta. ?Não quero que esse vexame (a goleada por 6 a 1) volte a acontecer?, declarou o vice-presidente de Futebol, Gérson Biscotto. ?A hora é de reagir?.

Agencia Estado,

17 de outubro de 2005 | 19h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.