Flamengo vai sobrevivendo às crises

Depois de ter sofrido até ameaça de rebaixamento no Campeonato Brasileiro, o Flamengo passou a ser a esperança do futebol carioca neste segundo semestre. O clube inicia nesta quarta-feira a disputa da final da Copa Mercosul, em partida contra o San Lorenzo, da Argentina, às 21h40, no Maracanã. Apesar de estar às vésperas de uma decisão, o Flamengo parece ter adotado uma tática inédita: quanto maior for a crise, melhor será o desempenho dos jogadores.Pelo menos é isso o que vem ocorrendo ao longo do ano. O Flamengo foi tricampeão carioca em meio a desavenças entre Petkovic e Edílson - que duram até hoje. Depois, conseguiu fugir do descenso no Brasileiro, apesar de os atletas estarem com vários meses de salários atrasados e de terem sofrido agressões por parte dos torcedores.Agora é a vez de o meia Beto tornar o clima na Gávea mais tenso. O capitão do time exige a saída do vice-presidente de futebol do clube, Wálter Oaquim, a quem acusou de ter adulterado seu contrato para que não tenha direito ao passe livre no fim do ano. Segundo Beto, o presidente Edmundo dos Santos Silva lhe garantiu que vai modificar a estrutura da diretoria.Time - Os atletas que passaram a semana treinando separadamente, devido a contusões, estarão em campo na quarta-feira. O goleiro Júlio César se recuperou de uma entorse no tornozelo esquerdo, treinou nesta segunda-feira e retorna ao time. Beto já dera início aos trabalhos físicos semana passada e também confirmou presença.O lateral-direito Alessandro, o caso mais grave entre os contundidos, passou a tarde desta segunda-feira na Gávea, fazendo testes físicos e foi aprovado. Até agora, já foram vendidos mais de 18 mil ingressos para o jogo. A expectativa é a de que cerca de 80 mil torcedores estejam presentes no Maracanã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.