Flamengo vence o Botafogo na primeira partida da final

Obina entra e marca o gol da vitória rubro-negra, que fica perto do bicampeonato carioca

Bruno Lousada, O Estado de S. Paulo

27 de abril de 2008 | 18h49

O Flamengo largou na frente na decisão do Campeonato Carioca. Com um gol do atacante Obina, derrotou o Botafogo, por 1 a 0, na tarde deste domingo, no Maracanã, na primeira partida da final do Estadual do Rio. A equipe da Gávea pode até empatar o clássico de domingo para conquistar o bicampeonato regional. Caso o time alvinegro vença o próximo duelo por um gol de diferença, o campeão será conhecido na disputa por pênaltis. "Sou um iluminado de Deus", declarou Obina, xodó da torcida do Flamengo. Mais uma vez, ele brilhou em decisões. O ‘Anjo Negro’, como é conhecido na Gávea, escorou cruzamento do atacante Diego Tardelli, balançou as redes e vibrou como se fosse um torcedor. Seu gol surgiu aos 34 minutos do segundo tempo - ele entrou aos 30, na vaga do volante Íbson. "Deus sempre me dá coisas boas. Fiz um gol muito importante." Com a vantagem, o Flamengo seguirá mais tranqüilo e confiante para o México, onde vai encarar o América, quarta-feira, pelas oitavas-de-final da Taça Libertadores da América. Já o Botafogo não pode considerar o revés o fim do mundo. Pelo contrário.Enquanto o rival enfrentará uma viagem desgastante, o time alvinegro terá a semana livre para treinar. E vale lembrar que a equipe atuou desfigurada, com quatro desfalques importantes (o lateral-direito Alessandro, o goleiro Castillo, o lateral-esquerdo Triguinho e o atacante Jorge Henrique).Botafogo e Flamengo decidem o título estadual pelo segundo ano consecutivo. No Carioca de 2007, a equipe rubro-negra levou a melhor e o adversário reclamou bastante da arbitragem. Passado um ano, os dois times voltaram a medir forças na decisão da Taça Guanabara, e o script foi o mesmo. Flamengo1Bruno; Léo Moura, Fábio Luciano    , Ronaldo Angelim e Juan; Cristian, Kleberson (Diego Tardelli), Ibson (Obina) e Toró; Marcinho     e Souza     (Jaílton    )Técnico: Joel Santana Botafogo0Renan; Renato Silva    , André Luis e Leandro Guerreiro; Túlio Souza     (Eduardo), Diguinho    , Túlio, Lucio Flavio e Zé Carlos (Édson); Wellington Paulista e Fábio (Adriano Felício)Técnico: CucaGols: Obina, aos 34 minutos do segundo tempoÁrbitro: Gutemberg de Paula FonsecaRenda: R$ 1.333.455,00Público: 63.413 pagantesEstádio: Maracanã, no RioO Flamengo ergueu o troféu e o Botafogo atribuiu a derrota à (má) atuação do trio de árbitros. Por esse histórico, é natural que o clube de General Severiano encare essa final como uma vingança. "Cabe a gente não deixar isso acontecer", declarou Souza, atacante do time da Gávea. Maracanã lotado, festa bonita nas arquibancadas, rivalidade em alta e a taça de campeão em disputa. Cenário perfeito para um grande espetáculo, mas faltou o essencial no primeiro tempo: o bom futebol. Foram 45 minutos horrorosos, com muitas faltas e sem nenhuma emoção. O clássico melhorou no segundo tempo. O Botafogo chegou a acertar uma bola na trave, num chute do zagueiro Eduardo. Já o Flamengo lançou três atacantes (Obina, Souza e Diego Tardelli) e alcançou seu objetivo.A surpresa ficou por conta do goleiro Renan, de 18 anos. Ele substituiu Castillo (machucado) e fez, no mínimo, quatro boas defesas. Demonstrou personalidade e não sentiu o peso do clássico. Não teve culpa no gol de Obina.

Tudo o que sabemos sobre:
FlamengoBotafogoEstadual do Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.