Flamenguistas depõem na CPI

Começou há pouco na CPI do Futebol no Senado, os depoimentos do presidente do Conselho Fiscal do Flamengo, Roberto Abranchesc e do ex-conselheiro do clube, Paulo César Ferreira. Na sessão desta quinta-feira, os senadores pretendem interrogar os dois dirigentes flamenguistas sobre as suspeitas da comissão, de remessa ilegal de recursos para o exterior e de negociações de jogadores.Os trabalhos começou, com o depoimento de Ferreira. Após ouvir Ferreira em plenário, a comissão realiza sessão secreta para tomar o depoimento do presidente do Conselho Fiscal do clube. Na abertura, o presidente da comissão, senador Álvaro Dias (PSDB-PR) repudiou o que considerou de "tentativas de ameaças e intimidação aos trabalhos da CPI" que teriam sido feitas num jornal fluminense pelo presidente do Conselho de Administração do Flamengo, Eduardo Mota.Segundo Dias, Mota teria dito que "a CPI está denegrindo a imagem do Flamengo, com suas investigações", mas "os escândalos que alguns dirigentes de clubes do futebol brasileiro é que denigrem o esporte", retrucou Álvaro Dias. Atendendo a requerimento do presidente, a CPI determinou que a Polícia Federal interrogue Eduardo Mota sobre as possíveis ameaças à comissão.Na próxima terça-feira, o presidente e o relator da CPI, senador Geraldo Althoff (PFL-SC) têm encontro no Ministério da Justiça, para pedir rapidez no rastreamento de contas bancárias no exterior de pessoas e empresas investigadas pela comissão. "Nós já encaminhamos à Advocacia Geral da União uma solicitação para obter informações sobre essas contas bancárias no exterior e nosso encontro com o ministro servirá para pedir maior celeridade no fornecimento desses dados", disse Althoff.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.