Flu cumpre tabela em Nova Friburgo

Uma partida que, além de não valer nada, ainda terá como fator de desmotivação a dispensa da maior parte do elenco logo após o seu encerramento. Esse é o retrato do jogo entre o Tricolor e o Friburguense, neste sábado, às 16 horas, em Nova Friburgo. Depois de demitir o técnico Valdir Espinosa, a diretoria do clube deve fazer um desmonte no clube, que foi eliminado de todas as competições que disputava no primeiro semestre.Ao demitir Espinosa, o presidente do Fluminense, David Fischel, avaliou positivamente o trabalho do ex-treinador. Para justificar a dispensa, o dirigente utilizou o velho chavão: "futebol é resultado". Mas, ao eximir o técnico de culpa pela má campanha, Fischel deu a entender que o elenco tricolor é o culpado e, portanto, vários jogadores devem sair.Substituto interino de Espinosa, o ex-auxiliar-técnico Duílio, que não deve ser efetivado, tem dez desfalques para escalar a equipe por causa de contusões. Assim, alguns jogadores atuaram pela última vez pelo Fluminense na partida em que o clube foi desclassificado da Copa do Brasil, contra o Grêmio. Agnaldo e Fernando Diniz são dois exemplos. Os únicos jogadores motivados para a partida de amanhã são o atacante Magno Alves e o volante Marcão, que foram incluídos na pré-convocação do técnico da seleção Emerson Leão. Ramón e Fabinho, que também foram chamados, não participarão da partida, contundidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.