Flu e Vasco empatam por 4 a 4 em clássico emocionante

O Maracanã foi palco neste sábado de um jogo daqueles de perder o fôlego. Em um clássico cheio de emoção, com gols bonitos, Vasco e Fluminense empataram por 4 a 4. Quem pagou ingresso viu dois times inspirados, lutando em campo, como se o jogo, que não valia nada em termos de classificação, fosse uma decisão de Campeonato Carioca. Explica-se: o Fluminense já estava eliminado das semifinais da Taça Guanabara (primeiro turno do Estadual do Rio). Já o Vasco pisou no gramado do Maracanã com a vaga praticamente garantida. O empate deu ao clube de São Januário a liderança do Grupo B, com 10 pontos. Com isso, Flamengo x Vasco e América x Madureira farão as semifinais da Taça Guanabara (primeiro turno do Campeonato Carioca). As duas partidas serão realizadas no fim de semana (dias 24 e 25 de fevereiro). A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro divulgará em breve a data de cada confronto. O Fluminense iniciou melhor o clássico. Fez 1 a 0, num belo chute do atacante Soares de fora da área, e poderia ter feito mais. Porém, finalizou mal e esbarrou no goleiro Cássio. Acabou penalizado. O atacante Leandro Amaral, de cabeça, empatou a partida e incendiou o clássico. Um lance curioso: o atacante André Dias concluiu mal um jogada em que tinha tudo para estufar as redes. A torcida não o perdoou. Gritou o nome de Romário, que estava no banco de reservas. ?Sai, sai da frente, sai que o Romário é chapa quente?. Bem que os tricolores poderiam criar uma musiquinha afirmando que o meia Carlos Alberto é ?cabeça quente?. Ele reclama bastante dos companheiros, na maioria das vezes de forma deselegante, e leva muito cartões. Ontem, foi punido com amarelo após dar um carrinho duríssimo no atacante André Dias. Sem a menor necessidade. E o pior: terá de cumprir suspensão automática pelo terceiro cartão amarelo. Portanto, desfalcará o Fluminense na primeira rodada da Taça Rio (segundo turno), pois a equipe está eliminada da fase decisiva da Taça Guanabara. Nervoso em campo, só mudou de postura ao ver o meia Cícero, de cabeça, fazer 2 a 1, quase no fim da primeira etapa. ?Fui coroado com o gol e espero que seja o primeiro de muitos. Temos que honrar a camisa tricolor?, disse Cícero, no intervalo. Soares entendeu o recado e fez o terceiro no início do segundo tempo. Como provocação, a torcida tricolor gritou o nome de Renato Gaúcho. Durante a semana, a diretoria do clube das Laranjeiras tentou contratar o técnico do Vasco. As negociações chegaram a avançar e só não houve acordo por causa do alto pedido salarial do treinador. Leandro Amaral conteve a euforia dos tricolores ao fazer o seu segundo gol na partida. Os vascaínos, então, se empolgaram mais ainda com a entrada de Romário, aos 11 minutos. Mas quem brilhou foi Alex Dias, ex-Vasco. Ele acertou um chute, sem deixar a bola quicar, no ângulo: 4 a 2. Um belo gol. Vitória garantida? Que nada. O lateral-esquerdo Diego cobrou falta no ângulo, sem chances de defesa para o goleiro Ricardo Berna. A bola chegou a tocar no travessão antes de entrar: 4 a 3. Os minutos finais foram dramáticos. De tanto pressionar, o Vasco chegou ao heróico empate. O lance foi polêmico. O meia Conca tentou driblar Thiago Silva, no limite da grande área, e bola bateu na mão do defensor tricolor. O árbitro marcou pênalti. Os jogadores do Fluminense reclamaram bastante, alegando que a falta ocorreu fora da área. Não teve jeito. Leandro Amaral cobrou com perfeição: 4 a 4. ?O árbitro prejudicou a gente?, disse Alex Dias. Ficha técnica:Vasco 4 x 4 FluminenseVasco - Cássio; Thiago Maciel (Eduardo), Fábio Braz, Jorge Luiz e Diego; Ives, Amaral, Conca e Morais (Abedi); André Dias (Romário) e Leandro Amaral. Técnico: Renato Gaúcho. Fluminense - Ricardo Berna; Carlinhos, Thiago Silva, Roger e Ivan; Fabinho, Arouca, Cícero (Romeu) e Carlos Alberto; Alex Dias (Rafael Moura) e Soares (David). Técnico: Vinícius Eutrópio. Gols - Soares, aos 13 minutos; Leandro Amaral, aos 31 minutos; e Cícero, aos 41 minutos do primeiro tempo. Soares, aos 2 minutos; Leandro Amaral, aos 8 minutos; Alex Dias, aos 21; Diego, aos 26 minutos; e Leandro Amaral, aos 42 minutos do segundo tempo. Juiz - Gutemberg de Paula Fonseca. Cartão amarelo - Carlos Alberto, Thiago Maciel, Fábio Braz, Ives, Alex Dias, Cícero, Fabinho e Soares. Público e renda - Não disponíveis. Local - Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.