Flu ganha vaga na disputa por pênaltis

Numa controversa decisão por pênaltis, o Fluminense conseguiu a classificação na Copa Sul-Americana ao vencer o Santos, por 4 a 2, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro. No tempo normal, o time santista havia vencido por 2 a 1, mesmo placar do jogo de ida, no Rio, há 15 dias. No pênalti que deu a vitória ao Flu, o meia Felipe chutou na trave, mas o árbitro Carlos Eugênio Simon mandou voltar a cobrança, alegando que o goleiro Saulo havia se adiantado. Houve muita reclamação dos santistas. Felipe bateu de novo e, desta vez, converteu. Vale lembrar que Simon já havia irritado a torcida santista na Libertadores deste ano, no jogo de volta contra o Atlético-PR, quando deixou de marcar dois pênaltis para o Santos, que acabou desclassificado do torneio. O próximo adversário do Flu na Sul-Americana é o Banfield, da Argentina. O primeiro jogo é dia 14, no Brasil. A partida de volta acontece dia 28, em Buenos Aires. O Santos começou o jogo dando mostras de que poderia vencer com facilidade. Logo no primeiro minuto, Léo Lima cruzou da direita e Luís Alberto, de cabeça, assustou o goleiro Kléber. Nos minutos seguintes, o time paulista seguiu tendo mais a posse de bola. Mas não demorou para o Flu equilibrar a partida. E as chances de gol passaram a se alternar. Aos 19, Douglas perdeu gol feito para o Santos. Aos 20, Leandro desperdiçou para o Flu. Quando tudo levava a crer que a etapa inicial acabaria com 0 a 0 no placar, o Flu chegou ao gol, aos 46: Gabriel cruzou da direita e Tuta acertou um belo voleio. Até então, o centroavante não havia sequer sido notado em campo. No segundo tempo, o técnico Gallo colocou o atacante Luciano Henrique no lugar do volante Bóvio, improvisado na lateral direita - deslocando Douglas para aquele setor. O time ensaiou uma marcação pressão e chegou a assustar. Mas foi aí que Felipe acordou e resolveu jogar. Com passes de craque, o meia deixou várias vezes seus colegas - Tuta, Leandro, Arouca - na cara do gol. Parecia que a vitória do Flu estava garantida. Parecia. Mesmo apático e sem criatividade alguma, o time santista ?achou? dois gols, ambos de cabeça e frutos de cruzamentos na área - o primeiro de Edmílson, aos 38, e o segundo de Geílson, já aos 44. Nos pênaltis, Gabriel marcou para o Flu, Giovanni empatou para o Santos, Juan abriu 2 a 1 e Luciano Henrique errou sua cobrança - Kléber defendeu. Em seguida, Beto também errou para o Flu (mandou no travessão), e Wendel e Tuta converteram. Mas Edmílson errou seu chute (Kléber defendeu de novo), dando a oportunidade de Felipe marcar 4 a 2 e encerrar a disputa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.