Flu investe para tentar título inédito

Com a dupla de ataque Romário e Edmundo, além dos meias Roger e Ramon, o Fluminense pode ser considerado um dos favoritos para a conquista da Copa do Brasil, competição na qual o máximo que conseguiu até hoje foi um vice-campeonato, em 1992, quando perdeu a decisão para o Internacional. Agora, o Tricolor aposta na experiência do elenco para voltar a figurar entre os melhores do País e, com a ajuda de seu patrocinador (uma empresa de planos de saúde), conseguiu armar um time que, pelo menos no papel, não deixará de dar alegrias aos torcedores. No entanto, na estréia nesta quarta-feira à noite contra o Caxias catarinense, em Joinville, das quatro principais estrelas do time apenas Ramon deve atuar. Edmundo fica algumas semanas parado por causa de uma contusão muscular, Romário deve ser poupado por causa de dores no joelho e Roger, contratado ao Benfica português, ainda não tem a sua documentação regularizada. Aliás, sobre Ramon, que tem a missão de armar as jogadas do time, recai a expectativa da torcida, já que ele não vem atuando bem. Na derrota de domingo por 4 a 3 para o Flamengo, pelo Carioca, o meia foi figura apagada. Fora do campo, a equipe é comandada pelo técnico Valdyr Espinosa. Por sua identificação com o clube, o treinador foi contratado para o lugar de Renato Gaúcho. E Espinosa não escondeu que é o ataque o principal setor do time. Apesar de Romário, aos 38 anos, viver às voltas com contusões, e de Edmundo estar machucado. "Mas com o elenco que o Fluminense tem, não podemos jogar de outra maneira que não ofensivamente?, acredita Espinosa, que esta noite deve ter o jovem Marcelo e o recém-contratado Alessandro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.