Flu quer quebrar tabu fora de casa

O Fluminense quer dar fim ao tabu de ainda não ter vencido fora de casa no Campeonato Brasileiro. É esse o maior desafio do técnico interino Alexandre Gama, substituto de Ricardo Gomes, que faz sua estréia amanhã no confronto contra o Coritiba, às 20h30, no Estádio Couto Pereira. Ciente do pouco tempo que terá à frente da equipe, pois o clube deve anunciar a contratação de um novo treinador ainda nesta semana, ele quer ganhar experiência para seguir na profissão. Embora as chances sejam reduzidas de ser mantido no cargo, Gama ainda alimenta esse sonho. A receita é notória: vencer. "Tenho de estar sempre preparado", declarou o técnico interino, que tem problemas para escalar o meio-de-campo e o ataque do Fluminense. Apenas a zaga está definida com Leonardo Moura, Odvan, Antônio Carlos e Júnior César. O atacante Romário continuará fazendo trabalho físico e somente deve retornar à equipe no jogo de domingo, contra o São Paulo, no Estádio da Cidadania, em Volta Redonda. Além dele, o meia Roger e o goleiro Fernando Henrique estavam hoej com a seleção brasileira, no Haiti. Para substituir Fernando Henrique, Gama recorreu a um velho conhecido da torcida: o experiente goleiro Kléber. Há quatro meses sem atuar, falta-lhe ritmo de jogo, mas sobra ao atleta força de vontade para ajudar o Fluminense a conquistar sua primeira vitória fora de casa no Nacional. "Estou tranqüilo. Trabalhei com empenho nesta semana para tudo dar certo", contou Kléber, convicto da necessidade de orientar os zagueiros para não dar espaços ao atacante Tuta, do Coritiba. No treino de hoje, nas Laranjeiras, zona sul, Gama escalou primeiramente Marcão e Arouca como volantes, além de Maicon e Ramon como meias de ligação. Alex e Edmundo compuseram o ataque. A tendência é que essa formação inicie a partida. No entanto, o volante Marciel e os atacantes Alessandro e Mauro também tiveram oportunidades durante o coletivo. No segundo tempo do treino, Edmundo chegou a ser testado no meio-de-campo, mas a alteração, a princípio, parece não ter surtido o efeito necessário para mantê-lo na posição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.