Flu quer resgatar glória nos 100 anos

O aristocrático e tradicional Fluminense Futebol Clube comemora neste domingo seu centenário ciente de que sua realidade se assemelha à das classes proletariadas. Mergulhado em uma dívida de aproximadamente R$ 90 milhões, o clube luta para retornar aos áureos tempos de sua fundação e se recuperar de um tempo recente em que amargou até a participação na 3ª divisão do Campeonato Brasileiro.O vice-presidente de Futebol do Fluminense, Marcelo Penha, disse que, como qualquer outro clube brasileiro, o Tricolor também está enfrentando dificuldades financeiras. O dirigente explicou que a dívida só não aumentou por causa da política de saneamento adotada pelo presidente David Fischel, em uma administração de sucesso, na avaliação dos sócios. Desde de 1999, o competente engenheiro civil vem conseguindo reerguer o Fluminense.Do total de R$ 90 milhões em dívidas, a maior parte é Fiscal, R$ 55 milhões. O restante, R$ 35 milhões, refere-se a dívidas trabalhistas e cíveis. "Sei que é pouco mas, desde que assumimos, pagamos US$ 5 milhões (R$ 14 milhões)", justificou Penha.O crônico problema das dívidas afetou o Fluminense na semana passada, dia 12, com a greve de 24 horas promovida pelos jogadores, por causa dos salários atrasados. De acordo com Penha o valor do débito com os atletas é de R$ 4 milhões, formado ao longo do atraso de três meses de salários e seis meses de direitos de imagem, além da premiação pela conquista do Campeonato Estadual de 2002. "Esperávamos vender um jogador para poder pagar essa dívida com os atletas", afirmou Penha. "Como não conseguimos, vamos ter de nos programar com o dinheiro da transmissão do Brasileiro pela TV."Recuperação - Para o futuro, o clube planeja voltar a era dos grandes times que contaram com a presença de ídolos eternos como os goleiros Castilho e Félix, os atacantes Washington e Assis, e inesquecíveis craques da seleção como Gérson, Rivellino e Didi. Mas, de imediato, a torcida terá de se contentar com uma equipe sem estrelas, afinal, "faltam dinheiro e patrocinadores". Um dos indícios da ´dura´ realidade é o total da atual folha salarial do clube R$ 800 mil. "E vamos baixá-la ainda mais", garantiu Fischel.Festa - Para comemorar o centenário, o clube não perdeu a fidalguia e programou uma série de eventos, que terá seu ápice no amistoso contra o Toluca, do México, na quarta-feira, à noite no Maracanã. As comemorações incluíram o lançamento de cartão de crédito, um selo (tiragem de 1,2 milhão, vendido a R$ 0,55), além de medalhas (em ouro, R$ 4,8 mil; prata, R$ 120; e bronze R$ 90). Um baile de gala, no salão Nobre do clube, um páreo no Jockey Club Brasileiro e o lançamento do livro oficial do Centenário ? Fluminense Football Club - 100 anos de Glórias, de Pedro da Cunha e Menezes, editora Andrea Jakobsson Estudio, também fizeram parte dos festejos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.