Nelson Perez/Divulgação
Nelson Perez/Divulgação

Flu supera chuva forte e gramado encharcado para vencer

Equipe bate o Boavista no Estádio Moça Bonita e assume a liderança do Grupo B da Taça Rio

LEONARDO MAIA, Agência Estado

30 de março de 2013 | 18h21

A partida entre Fluminense e Boavista, neste sábado, em Moça Bonita, foi daquelas em que o mais importante é o resultado. Esqueça a vontade de jogar bem, ter uma atuação convincente. O que interessa é a vitória. O motivo para tanto foi a forte chuva que caiu nesta tarde no Rio, praticamente inviabilizando a troca de passes. O triunfo por 2 a 0 do time tricolor, pela quarta rodada da Taça Rio, foi melhor do que o esperado.

Não à toa, os gols saíram com uma boa dose de sorte. No início do segundo tempo, Jean contou com um desvio para marcar o primeiro em cobrança de falta. Rafael Sóbis completou o placar depois que uma saída errada da zaga rival deixou a bola à disposição de Fred dentro da área, que serviu o companheiro.

Pelo segundo jogo consecutivo, o técnico Abel Braga barrou o meia Deco, que observou a luta dos demais companheiros contra o estado ruim do gramado. O luso-brasileiro entrou no segundo tempo e teve pouco tempo para mostrar que sua forma física ruim está melhorando.

Com a vitória, o Fluminense chega aos 10 pontos e assume a liderança do Grupo B. O Resende soma nove pontos e pode superar o Flu se derrotar o Bangu, neste domingo. O Flamengo, com quatro pontos, joga com o Audax, também na tarde de domingo.

O campo do Bangu até suportou bem o grande volume de água. Mesmo assim, muitas poças atrapalhavam o toque de bola. O Boavista soube trabalhar melhor as condições adversas e criou mais chances no primeiro tempo. Foram três boas oportunidades.

A melhor delas foi interrompida por um pênalti de Wagner em Gilcimar, aos 34, em lance ignorado por João Batista de Arruda. O Flu, por sua vez, teve dificuldades em chegar frente a Vinícius em situação nítida de gol.

"As duas equipes são de toque de bola, de qualidade e a chuva prejudica muito. O gramado até está bom, mas com muitas poças. Temos que saber jogar nessa situação", comentou Fred.

O volante Jean obedeceu o capitão. Da intermediária defensiva, deu um balão rumo ao ataque, o zagueiro Gum dividiu pelo alto e Rafael Sóbis sofreu falta na entrada da área. Jean cobrou, Tony desviou e matou Vinícius: 1 a 0.

Depois de breves minutos de trégua, a chuva voltou forte e prejudicou muito a partida. Para agravar, Moça Bonita tem um péssimo sistema de iluminação e a noite caiu cedo, afetando a visibilidade de torcida e jogadores.

Aos 35, o lance casual que resultou no segundo tento tricolor. Gustavo foi rifar a bola, Carlinhos abafou e a bola sobrou para Fred, que rolou para Sóbis ampliar.

FLUMINENSE 2 X 0 BOAVISTA

FLUMINENSE - Diego Cavalieri; Bruno, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Jean, Wagner (Deco) e Rhayner (Monzón); Marcos Júnior (Rafael Sóbis) e Fred. Técnico - Abel Braga.

BOAVISTA - Vinícius; Everton Silva, Gustavo, Bruno Costa e Romarinho (Túlio Souza); Douglas Pedroso, Thiaguinho, Júlio César (Max Pardalzinho) e Tony; Erick Flores (Leo Faria) e Gilcimar. Técnico - Lucho Nizzo.

GOLS - Jean, aos 2, e Rafael Sóbis, aos 35 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - João Batista de Arruda.

CARTÃO AMARELO - Gum (Fluminense). Douglas Pedroso, Júlio Cesar, Thiaguinho, Erick Flores, Tony (Boavista).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio de Moça Bonita, no Rio.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseCampeonato Carioca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.