Flu tenta não se distanciar do topo

O Fluminense entra em campo nesta quarta-feira, às 20h30, disposto a apagar a má-impressão deixada na goleada para o Botafogo, por 4 a 1, no Maracanã - a primeira dentro de casa. O técnico Alexandre Gama explicou ao elenco a necessidade de derrotar o Grêmio, no Estádio Olímpico, para não se distanciar dos quatro primeiros colocados na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, que se classificam para a Copa Libertadores."Não se pode tirar o foco do objetivo. Cobrei mais empenho e superação dos jogadores", declarou Gama, que, antes de embarcar com a delegação para Porto Alegre, ainda se mostrou irritado com a ausência do zagueiro Odvan no treino de segunda-feira. "Esse tipo de situação não será mais tolerada. Isso serve para qualquer um."O Grêmio, penúltimo colocado do Nacional, luta para não ser rebaixado, mas não é visto como um adversário frágil. "Jogar em Porto Alegre sempre é complicado. Tem que ter determinação para se vencê-lo", frisou Ramon, abatido com a perda da invencibilidade de oito jogos.O treinador confirmou a escalação de Edmundo, recuperado de dores musculares, no ataque. O artilheiro Romário, mais uma vez, foi preterido por Gama, que tem apenas uma dúvida para a partida. Já o lateral-direito Leonardo Moura não se recuperou de contusão e será substituído por Mineiro. E o lateral-esquerdo Júnior César, que ainda se recupera de dores no tornozelo direito, viajou com a delegação para Porto Alegre, mas ainda não sabe se terá condições física e técnica ideal para começar o jogo.Inativo há quatro meses, Victor Boleta é a opção. Contratado ao Vasco no meio da temporada, o atleta ainda não despontou no Fluminense e, na maioria das vezes, nem tem ficado no banco de reservas. Ele, porém, disse ter sorte contra o Grêmio e espera começar a conquistar, a partir de agora, a confiança do treinador e da torcida. "Quero aproveitar esta oportunidade. Se entrar, vou me empenhar ao máximo. No ano passado, quando jogava no Vasco, fiz um gol contra o Grêmio", frisou Boleta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.