Flu tinha talento estrangeiro ao ser campeão brasileiro em 1984

SÃO PAULO - Segundo maior campeão da história do Campeonato Carioca, com 30 títulos (atrás apenas do Flamengo, que tem 31), o Fluminense chegou neste domingo à sua segunda conquista no Campeonato Brasileiro. Antes, somente a geração comandada pelos atacantes Washington e Assis, conhecidos como o "Casal 20", havia chegado ao título de maior expressão do Brasil, em 1984. Mas, apesar da badalação em torno da dupla, o principal destaque daquele time era o paraguaio Romerito.

AE, Agência Estado

05 de dezembro de 2010 | 19h08

Veja também:

link JOGO - Leia como foi Fluminense 1x0 Guarani

especial ESPECIAL - Flu e Unimed, enfim campeões

especial OS CAMPEÕES - Conheça os jogadores do Flu

som Ouça o gol (Eldorado/ESPN) - 1x0

Assim como aconteceu neste ano, a criação das jogadas do Fluminense no primeiro título brasileiro ficava por conta de um estrangeiro. Se o argentino Conca caiu nas graças da torcida e se tornou o destaque da equipe campeã desta temporada, o paraguaio Romerito era o cérebro tricolor em 84.

Apesar de serem conhecidos pela qualidade no passe, os dois jogadores também marcavam seus gols. Conca contribuiu para o bicampeonato decidindo vários jogos. Já Romerito anotou cinco gols nas doze partidas em que atuou em 84 - à sua frente apenas Washington e Assis, com nove gols cada, mas em 25 partidas disputadas naquele campeonato.

O intervalo entre essas duas gerações foi de 26 anos, tempo em que o Fluminense ficou sem disputar uma decisão de Brasileiro. Em 1995, a equipe chegou perto, mas perdeu por 5 a 2 na semifinal para o Santos num jogo antológico no Pacaembu.

Nos anos seguintes, o clube passou por seus piores momentos na história. Foi rebaixado em 1996, conseguiu a virada de mesa, mas voltou a cair em 1997. Em 1998, fez péssima campanha na Série B e foi parar na Série C, competição da qual foi campeão em 1999. Graças à criação da Copa João Havelange, voltou à elite sem passar novamente pela segunda divisão. Agora, volta a ser campeão brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.