Flu vence Juventude e se mantém na 1ª

O Fluminense venceu o Juventude por 1 a 0, neste domingo à tarde, no Maracanã, e manteve-se na Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro. O empate bastaria à equipe carioca, que jogou nervoso boa parte do tempo e acabou beneficiado pela displicência do adversário - livre da ameaça de rebaixamento desde a rodada anterior, o Juventude atuava com indisfarçável má vontade e chutou apenas uma bola a gol no primeiro tempo. O Fluminense errava passes, desperdiçava oportunidades e deixava a torcida em aflição. Romário, fora de forma física e técnica, levou o técnico Renato Gaúcho ao desespero quando a partida estava empatada e três das outras equipes que lutavam contra o descenso venciam seus jogos. Naquele momento, um gol do Juventude significava a desclassificação do Tricolor. Foi quando Romário, sem marcação e sozinho na pequena área, chutou para fora bola espalmada pelo goleiro Márcio, após arremate violento de Júnior César.Nem o atacante acreditou no que fez. O treinador levou às mãos à cabeça, fechou os olhos e gritou. O público silenciou. Poderia ser o prenúncio de que algo de ruim ocorreria ao Fluminense. Logo em seguida, porém, Alex Oliveira sofreu falta no lado esquerdo. Na área, Romário orientava o outro atacante, Marcelo, a se posicionar atrás do último zagueiro do Juventude. O lateral Jadílson cobrou a falta, a bola ganhou uma curva e caiu exatamente na cabeça de Marcelo. Ele a escorou para baixo e Márcio não conseguiu evitar o gol. O Fluminense abria o placar e uma sensação de alívio tomava conta do Maracanã. Voltou para o segundo tempo mais calmo, tocando a bola, mas disposto a marcar novamente e definir a situação. Aos poucos, no entanto, o Juventude passava a se interessar pela partida. Tentaria ao menos o empate. Por duas vezes, com Felipe e Hugo, esteve por marcar. O Fluminense demonstrava falta de preparo físico e o adversário melhorou bastante com a entrada de Felipe e Camazzola. O calor no Rio era muito forte, a temperatura era superior a 40 graus em campo e o Juventude também cansou. Nos últimos minutos, a torcida do Fluminense, que compareceu ao Maracanã em grande número, mais de 30 mil pessoas, já sentia que uma eliminação era praticamente impossível. Cantou o hino do clube, rendeu homenagens a Renato Gaúcho e voltou para casa feliz, depois de um martírio que começou em 30 de março, na estréia do Fluminense no Brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.