Reuters/Alexandre Loureiro
Reuters/Alexandre Loureiro

Fluminense bate o Botafogo no Brasileirão com placar magro e ainda provoca rival nas redes sociais

Manoel foi decisivo e deu a vitória aos tricolores na segunda etapa dentro do território alvinegro; antes do jogo, o ônibus do tricolor foi apedrejado

Redação, Estadao Conteudo

26 de junho de 2022 | 18h22

Em jogo de ataque contra defesa, o Fluminense levou a melhor no clássico com o Botafogo, venceu a partida por 1 a 0 e conseguiu avançar na tabela e se aproximar do G-4 do Brasileirão. O gol da vitória foi marcado pelo zagueiro Manoel, no segundo tempo, e confirma a recuperação do time das Laranjeiras no torneio.

Os comandados de Fernando Diniz, que vêm de vitória sobre o Avaí, agora somam 21 pontos. O Botafogo também vinha de vitória na competição, mas com a derrota, o time estaciona nos 18 pontos e se mantém na parte intermediária da classificação. Antes da partida, o ônibus do Tricolor das Laranjeiras foi apedrejado por torcedores rivais. Ninguém se feriu.

O Fluminense volta a campo pelo Campeonato Brasileiro no próximo sábado porque não está na Libertadores nem na Sul-Americana. O time do técnico Fernando Diniz recebe o Corinthians no Maracanã. Já o Botafogo viaja até Bragança Paulista para enfrentar o Bragantino, que perdeu na rodada. Pela Copa do Brasil, a equipe alvinegra encara o América-MG nesta quinta, em Belo Horizonte, em confronto válido pelo jogo de ida das oitavas de final.

Por meio de sua conta oficial no Twitter, o Flu provocou o rival após o clássico com posts em inglês, em menção ao dono do clube, o americano John Textor. Uma das postagens dizia "A beautiful neighborhood",  ou "um belo bairro", em português, em referência ao bairro de Botafogo. A delegação tricolor teve o seu ônibus apedrejado no trajeto para o Estádio Nilton Santos quando passou em frente a um bar onde havia concentração de torcedores do Botafogo.

O primeiro tempo no Engenhão marcou um confronto de estratégias entre as equipes do técnico Fernando Diniz e do português Luís Castro. Enquanto o Fluminense apostou na posse de bola e no controle do jogo, o Botafogo, que jogou com o apoio de sua torcida, teve o contra-ataque como principal objetivo.

O desfalque de última hora de Erison fez o Botafogo utilizar desde o início o jovem Matheus Nascimento, de 18 anos, nas ações ofensivas. Encarregado de fazer a ligação do meio-campo com o ataque, ele perdeu uma boa chance e criou boas oportunidades em escapadas pelos lados do campo.

O Fluminense viveu um clima de despedida no clássico já que Luiz Henrique, negociado com o Betis, da Espanha, fez sua última partida neste domingo. Bastante vigiado pela defesa alvinegra, ele foi peça importante na variação de jogadas no campo de ataque, mas pouco criou de efetivo no primeiro tempo. Artilheiro do time no Brasileiro, Cano teve apenas uma chance de finalizar, mas no momento da conclusão, acabou chutando mal. Apesar de movimentado, o primeiro tempo apresentou poucas oportunidades claras de gol.

Na volta para o segundo tempo, o juiz Anderson Daronco precisou agir com energia para conter o ímpeto dos atletas. Os zagueiros Manoel e Joel Carli se estranharam. Logo depois foi a vez do atacante botafoguense Vinícius Lopes e do lateral Caio Paulista discutirem feio.

O Fluminense assumiu o comando na segunda etapa e adotou a marcação no campo do adversário. O time de Fernando Diniz chegou a ter 75% de posse de bola. Para tentar mudar a postura de sua equipe, o técnico Luís Castro sacou Matheus Nascimento e colocou Erison para aumentar o poder ofensivo do Botafogo.

Sem conseguir furar a retranca botafoguense, a melhor chance do Fluminense aconteceu só aos 32 minutos em arremate de Samuel Xavier que Gatito Fernández defendeu. De tanto insistir, porém, a equipe das Laranjeiras acabou chegando ao seu gol. Caio Paulista cruzou da esquerda, Manoel se antecipou, limpou a jogada e bateu forte para fazer 1 a 0, aos 37 minutos. Nos minutos finais, o Botafogo se lançou ao ataque, mas de forma desordenada, não chegou a ameaçar o gol do goleiro Fábio. O Fluminense cadenciou o jogo, segurou a bola e conseguiu garantir o resultado fora de casa.

FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 0 x 1 FLUMINENSE

BOTAFOGO - Gatito Fernández; Joel Carli, Kanu (Daniel Cruz), Victor Cuesta; Saravia, Tchê Tchê, Del Piage (Luís Oyama), Chay (Jeffinho) e Hugo; Vinícius Lopes e Matheus Nascimento(Erison). Técnico: Luis Castro.

FLUMINENSE - Fábio; Samuel Xavier, Nino, Manoel e Caio Paulista; André, Nonato, Ganso (Matheus Martins); Luiz Henrique, Cano (John Kennedy) e Arias (Felipe Melo). Técnico: Fernando Diniz.

GOL - Manoel, aos 37 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Nonato (Fluminense) e John Kennedy (Fluminense); Chay (Botafogo) e Sarávia (Botafogo.

ÁRBITRO - Anderson Daronco (RS).

RENDA - R$ 724.660,00

PÚBLICO - 27.780 pagantes.

LOCAL - Estádio Engenhão, no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.