Fluminense aposta em Romário

O Fluminense não conquista um títulonacional desde 1984 quando tinha um time formado por grandesjogadores como o lateral-esquerdo Branco, o meia Assis e osatacantes Washington e Romerito. Para tentar o bicampeonato noano do centenário, o Tricolor contratou o artilheiro Romário e omeia Beto. No comando da equipe está o técnico Robertinho, ex-jogador doFluminense. A diretoria aposta na juventude do treinador eacredita no seu trabalho. Ele, inclusive, conseguiu levar o timeao título do Campeonato Estadual deste ano, fato que nãoacontecia desde 1995, quando o Tricolor foi campeão, no ano docentenário do Flamengo, com o famoso gol de barriga do atacanteRenato Gaúcho. "Faremos um grande campeonato. O time está mais maduro e oentrosamento é maior. Além disso, o título Estadual nos deu umatranqüilidade", afirmou Robertinho. O treinador manterá a baseque vem atuando nas últimas competições, fazendo apenas duasalterações: as entradas de Romário e Beto. Robertinho reconhece que o Fluminense perdeu muito com a saídado lateral-esquerdo Paulo César e do meia Roger. O treinador,porém, acredita que Beto possa ser o substituto do ex-ídolotricolor. Na lateral, ele escala o jovem Marquinhos, únicojogador desconhecido da torcida. Na zaga, Régis está em litígiocom o clube e deve ser negociado.No ataque, ainda resta a dúvida de quem será o companheiro deRomário. Robertinho possui no elenco mais quatro atacantes para umavaga: Magno Alves, Roni, Agnaldo e Marco Brito. O primeiro levavantagem sobre os demais jogadores e deve formar a dupla com oartilheiro na estréia, contra o Cruzeiro, domingo, no Maracanã.Magno Alves já marcou 99 gols com a camisa do Fluminense e sonhaem marcar o centésimo, no ano do centenário, com passe deRomário. "Seria uma alegria enorme para mim", disse o jogador.Ele acredita que com a chegada do artilheiro possa render muitomais no ataque tricolor. Time-Base - Murilo; Flávio, César, Maurício e Marquinhos;Marcão, Fabinho, Beto e Fernando Diniz; Magno Alves e Romário.Técnico - Robertinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.