Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Fluminense bate São Paulo no Morumbi e entra no G-4

Sem Muricy no banco, Tricolor é derrotado pelo Fluminense em casa e acumula o terceiro revés em quatro partidas no Brasileirão

Fábio Hecico, O Estado de S. Paulo

27 Setembro 2014 | 23h01

O São Paulo perdeu o encanto, o jogo para o Fluminense e a harmonia com seu torcedor. A derrota por 3 a 1 no Morumbi, com a equipe pouco produzindo, custou a recuperação do segundo lugar. Uma vitória ainda diminuiria a distância para o líder Cruzeiro, agora em dez pontos. O time deixou o campo sob vaias e protestos da torcida.

“Ô, ô, ô,ô, muito respeito com a camisa tricolor” e “vergonha, vergonha, time sem vergonha”, cantaram os pouco mais de 16 mil torcedores presentes ao estádio depois do quarto jogo sem uma vitória.

Sem o técnico Muricy Ramalho, que permanece internado no Hospital São Luiz após apresentar uma taquicardia no treino de quinta-feira, o time foi apático em campo. De acordo com o último boletim médico, o treinador passa bem, evolui clinicamente, mas ainda não tem previsão de alta.

Apesar da ausência, o treinador teve seu nome gritado forte pelos são-paulinos. Já o rival Fred foi bastante vaiado e acabou sendo decisivo na vitória do Fluminense, que dorme no G-4. Ele fez o seu e deu assistência para Wagner.

O jogo começou com um embolado no meio de campo. Com o setor congestionado, os atacantes não apareciam. O jogo foi arrastado por quase todo o primeiro tempo. Com o quarteto ofensivo do São Paulo apagado, Ganso irritado, Kaká quase não pegando na bola e Kardec e Pato sumidos, os cariocas até dominaram boa parte da etapa. E rondaram com perigo a área de Rogério Ceni.

O São Paulo, que prometia sufocar, demorou 39 minutos para ameaçar Diego Cavalieri. Primeiro num cruzamento de Auro que chegou para Pato errar a cabeçada e na sequência com o atacante, cara a cara, chutando em cima do goleiro.

Sem mudanças, mas com uma postura mais agressiva, as equipes iniciaram a etapa final em busca do gol. Logo aos 3 minutos, Kaká saiu na cara de Cavalieri, mas brigou com a bola e não conseguiu finalizar. No contragolpe, foi a vez de Fred falhar ao tentar servir um companheiro e errar o passe.

O gol perdido pelo São Paulo fez o eco de Luis Fabiano aumentar nas arquibancadas. O atacante ia para o aquecimento atrás do gol de Cavalieri quando viu os cariocas tirarem o zero do placar. Cícero deu para Conca que lançou. Fred apareceu atrás da zaga e, meio atabalhoado, desviou de esquerda.

A resposta foi rápida. Em boa trama são-paulina, Kardec serviu Alexandre Pato e a igualdade se estabeleceu

O jogo chato, então, virou um jogaço. E, quando o São Paulo parecia mais perto da virada, foi o Fluminense quem apareceu. Fred lançou Wagner, que cortou e bateu sem chances para Ceni aos 27 minutos.

Milton Cruz, então, chamou Luis Fabiano. Conversava com o atacante enquanto a torcida pedia “raça, raça.” Mesmo com o goleador, o time pouco apareceu. Pior, levou o terceiro, em cobrança de falta perfeita de Conca. O time acabou ouvindo “olé” e saiu sob vaias.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 1 X 3 FLUMINENSE

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Auro, Antonio Carlos, Edson Silva e Alvaro Pereira (Reinaldo); Denilson, Souza (Osvaldo), Paulo Henrique Ganso e Kaká; Alexandre Pato e Alan Kardec (Luis Fabiano). Técnico: Milton Cruz (interino).

FLUMINENSE - Diego Cavalieri; Bruno (Edson), Elivélton, Marlon e Chiquinho (Carlinhos); Rafinha, Jean, Cícero, Conca e Wagner; Fred (Rafael Sóbis). Técnico: Cristóvão Borges.

GOLS - Fred, aos sete, Alexandre Pato, aos 11, Wagner, aos 26, e Conca, aos minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG).

CARTÕES AMARELOS - Antonio Carlos, Denilson (São Paulo); Elivélton (Fluminense).

RENDA - R$ 581.420,00.

PÚBLICO - 16.131 pagantes.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.