Fluminense busca consistência para sair da lanterna

Num confronto de times em situações opostas, nesta quarta-feira, às 21 horas, no Maracanã, o lanterna Fluminense recebe o Atlético-MG, que luta pela liderança do Campeonato Brasileiro. Pressionado no cargo e na competição, o técnico Cuca deposita suas esperanças no que considera uma sensível evolução da equipe nas últimas partidas. São cinco jogos de invencibilidade. O problema é que o time obteve quatro empates e apenas uma vitória no período.

LEONARDO MAIA, Agencia Estado

29 de outubro de 2009 | 08h15

Segundo o treinador, o que falta ao time é consistência durante os 90 minutos. "Estamos buscando um equilíbrio maior, jogar os dois tempos bem. Temos criado bastante, feito gols, jogado bem. Só é preciso um com pouco mais de concentração", comentou Cuca, que promoverá nova alteração no esquema tático.

Depois de atuar no 4-3-3 contra o Universidad de Chile e no 3-5-2 contra o Goiás (empates por 2 a 2), o Fluminense vai a campo no tradicional 4-4-2. Cuca optou por manter Equi González, que entrou bem no segundo tempo contra o time goiano, e sacar o zagueiro Digão.

As constantes mudanças têm irritado muitos jogadores, principalmente os veteranos, que foram barrados e reclamam do estilo recluso do técnico. Cuca, porém, garante que não altera seu modo de ser por conta disso.

No ataque, Cuca já pode contar com Alan, recuperado de uma contusão na região dos quadris. Mas o jovem atacante começará no banco de reservas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.