Nelson Perez/Divulgação
Nelson Perez/Divulgação

Fluminense e parceira não entram em acordo e rompem após 15 anos

Unimed patrocinava e financiava o clube desde que o mesmo estava na terceira divisão; maioria dos atletas titulares deve deixar a equipe

Estadão Conteúdo

10 Dezembro 2014 | 10h48

Após 15 anos praticamente sustentando o Fluminense, a Unimed-Rio decidiu rescindir o contrato de patrocínio que tinha com o clube carioca. "A decisão é fruto de uma revisão da estratégia de marketing da empresa", explicou o presidente Celso Barros, praticamente um mecenas do clube das Laranjeiras na última década e meia.

A cooperativa chegou quando o Fluminense estava na terceira divisão e foi muito mais do que uma mera patrocinadora. Bancou a contratação, entre outros, de Romário, Edmundo, Roger, Fred, Deco e Conca. Em diversos casos, a Unimed era responsável pelo pagamento de quase a totalidade dos direitos de imagem dos jogadores, valor que representava quantia expressiva dos vencimentos dos atletas.

Só em 2014, especula-se que a Unimed tenha desembolsado R$ 25 milhões pagando direitos de imagens de atletas. Não à toa, Celso Barros vai dar nome ao futuro centro de treinamento do clube. "(Celso) é a maior figura na reconstrução da história recente do Fluminense", chegou a dizer o presidente Peter Siemsen, ao anunciar o CT.

Um dos pontos de atrito entre a Unimed e o Flu teria sido a oferta do clube de vender o espaço master da camisa para um novo patrocinador. A cooperativa queria ficar com uma parcela do arrecado. A parceria se desgastou com o tempo e chega ao fim em 31 de dezembro de 2015, um ano antes do previsto em contrato - uma cláusula autorizava a rescisão unilateral.

Atualmente, a Unimed era responsável pelos vencimentos de quase todas as estrelas do elenco: Fred, Rafael Sóbis, Conca e Walter. A tendência, assim, é que o elenco do Fluminense seja desmontado para o ano que vem. Carlinhos abriu a porteira partindo para o São Paulo e boa parte dos titulares também devem ir embora.

Diego Cavalieri, Gum, Diguinho e Valencia ficam sem contrato no fim do ano e também devem ir embora do clube. Recentemente Fred deu uma entrevista/desabafo e colocou seu futuro em dúvida. Na ocasião, citou o rebaixamento do Botafogo para falar da situação do Flu: "O que será que vai acontecer com o Fluminense ano que vem? Vão sair aí oito jogadores. A molecada da base tem qualidade imensa, mas será que eles vão colocar a camisa e jogar? Mas será que o torcedor vai ter paciência para essa reformulação e a saída desses jogadores?", questionou.

Durante os 15 anos da parceria com a Unimed, o Fluminense se tornou um clube vitorioso. Ganhou três Cariocas (2002, 2005 e 2012), uma Copa do Brasil (2007) e dois Brasileiros (2010 e 2012), além de ter chegado a uma final de Copa Libertadores e outra de Sul-Americana.

"Agradecemos a todos os atletas, integrantes de comissões técnicas, dirigentes e funcionários do clube que estiveram conosco durante esta parceria, mas, principalmente, aos milhões de torcedores do Fluminense espalhados por todo o Brasil. Desejamos que o clube continue sua trajetória de glórias, com conquistas que levem alegria à torcida tricolor", escreveu, em comunicado, Celso Barros.

Mais conteúdo sobre:
futebol Fluminense Brasileirão Unimed

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.