Mourão Panda / América
Mourão Panda / América

Fluminense empata com o América-MG pelo Brasileirão após jogar com um a mais desde o início

Comandados de Fernando Diniz não saem do zero na Arena Independência e voltam a decepcionar

Redação, Estadão Conteúdo

15 de junho de 2022 | 23h56

O Fluminense viu Anderson Daronco expulsar Alê, do América-MG, com apenas dez minutos de bola rolando no Independência, nesta quarta-feira, e teve uma grande oportunidade de se redimir após a derrota para o Atlético-GO na rodada passada. No fim das contas, deixou a torcida tricolor ainda mais desiludida, já que não saiu do 0 a 0 na partida válida pela 12ª rodada do Brasileirão.

Toda a empolgação cultivada na vitória 5 a 3 sobre o Atlético-MG, há exatamente uma semana, foi drenada em poucos dias, com a derrota por 2 a 0 do último sábado, no Maracanã, e o empate sem gols desta noite. Agora, a equipe tricolor ocupa a décima posição, com os mesmos 15 pontos do América, 12º colocado, atrás por desvantagem no saldo de gols. Entre eles, está o Coritiba, que perdeu por 4 a 2 para o Red Bull Bragantino. Os três ainda podem perder posições até o fim da rodada.

O início do jogo de pouca qualidade técnica, sem domínio para nenhum dos lados e com apenas alguns momentos de ritmo mais acelerado. Enquanto os dois times ainda tentavam se encontrar em campo, o panorama da partida foi completamente alterado por volta dos dez minutos de bola rolando, no momento em que o árbitro Anderson Daronco levantou o cartão vermelho e expulsou o americano Alê por ter acertado Nino com o cotovelo durante uma disputa de bola pelo alto.

Ter um jogador a mais desde o início não impactou positivamente a atuação do Fluminense como deveria. Embora o time de Diniz tenha terminado o primeiro tempo com 73% de bola contra 27% do América, a posse não foi bem aproveitada e nenhuma das seis finalizações tricolores representou perigo real ao gol defendido por Jailson. A incapacidade em aproveitar a superioridade levou os torcedores cariocas presentes no Independência a vaiarem os jogadores na saída para o intervalo.

Fernando Diniz voltou do vestiário decidido a deixar o time mais ofensivo para superar uma defesa bem organizada apesar da baixa. Para isso, fez duas substituições. Tirou os volantes Wellington e Yago Felipe para colocar o atacante John Kennedy e Nonato, como último homem do meio de campo. A nova configuração melhorou o time. Nonato entrou bem e usou passes de qualidade para encontrar espaços na defesa americana. A partir daí, o problema passou a ser a conclusão das jogadas.

Enquanto o tempo passava, algumas decisões ruins eram tomadas, erros eram cometidos e a bola não entrava, o que começou a causar certo nervosismo. Foi possível constatar isso pelo breve bate-boca entre Ganso e John Kennedy, perto da metade da etapa final. O experiente meia repreendeu o jovem atacante de 20 anos por ter tentado uma bicicleta em vez escorar uma bola dentro da área. Kennedy respondeu calorosamente e até Diniz entrou na discussão, encerrada graças ao diplomático Manoel.

O Fluminense aparecia na área do América com frequência considerável, mas a bola sempre saia de lá para a linha de fundo ou voando para algum lado. A situação quase ficou ainda mais frustrante aos 31 minutos, quando Julinho roubou de Caio Paulista e conseguiu armar o contra-ataque com Pedrinho, que avançou, bateu cruzado e acertou a trave esquerda do goleiro Fábio.

No final do jogo, o time carioca tinha apenas Manoel como zagueiro de origem em campo, uma vez que o meio-campista Nathan entrou no lugar de Nino. O clima acabou virando de tudo ou nada, com a defesa bastante aberta, o que gerou oportunidades de novos contra-ataques para o América, visivelmente cansado, mas se esforçando para tentar aproveitar a menor brecha.

FICHA TÉCNICA

AMÉRICA-MG 0 X 0 FLUMINENSE

AMÉRICA-MG - Jailson; Raul Cáceres (Patric), Conti, Éder e Marlon (Danilo Avelar); Lucas Kal, Juninho e Alê; Everaldo (Carlos Alberto), Aloísio (Pedrinho) e Felipe Azevedo. Técnico: Vagner Mancini.

FLUMINENSE - Fábio; Samuel Xavier, Nino (Nathan), Manoel e Caio Paulista; Wellington (Nonato), Yago (John Kennedy) e Ganso; Luiz Henrique, Cano e Matheus Martins (Alexandre Jesus). Técnico: Fernando Diniz.

ÁRBITRO - Anderson Daronco (RS).

CARTÕES AMARELOS - Carlos Alberto, Everaldo e Marlon (América-MG); Nonato (Fluminense).

CARTÃO VERMELHO - Alê (América-MG).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.