Fluminense empata sem gols com Madureira no Carioca

Mesmo no Maracanã, time de René Simões tem mais um tropeço e continua sem vencer no Estadual do Rio

AE, Agencia Estado

29 de janeiro de 2009 | 00h30

Contra um adversário aplicado e determinado, o Fluminense batalhou mas não conseguiu a primeira vitória do ano. No Maracanã, nesta quarta-feira, o time não passou do empate sem gols com o Madureira, pela segunda rodada do grupo A. Com o resultado, o Fluminense está em sexto lugar na chave. O time do subúrbio carioca está na quinta colocação.    Veja também: Após fraca estreia, Vasco goleia Tigres: 4 a 0Estadual do Rio -  Classificação / Calendário / Resultados"Complicou, mas ainda não tem nada perdido. Fizemos um bom jogo, mas não conseguimos achar o gol. O Madureira foi um grande adversário", lamentou o volante Diguinho.Foi um confronto cadenciado no primeiro tempo. O Fluminense detinha grande parte da posse de bola e o Madureira, como esperado, postava-se todo na defesa, esperando um equívoco na saída de bola adversária para emendar um contra-ataque. Diante do bom bloqueio do adversário, o maior domínio territorial do Fluminense tornava-se inexpressivo.Aos poucos, porém, os donos da casa foram percebendo que, com Conca e Leandro Domingues bem marcados, a melhor opção era o avanço pelas laterais. Wellington Monteiro começou a aparecer bem e foi de seus pés que surgiu o primeiro lance de real perigo ao gol de Renan. O lateral-direito cruzou e Leandro Amaral cabeceou próximo ao poste direito, aos 30 minutos.Mas Wellington sentiu a coxa direita e seu ritmo diminuiu. E com isso também caiu a capacidade ofensiva do Fluminense e a qualidade técnica da partida. Apesar dos 10 escanteios a seu favor, os donos da casa não conseguiam ameaçar. O lance mais bonito da primeira etapa foi uma puxada de contra-ataque de Conca, que lançou Roger. Mas ele foi individualista e desperdiçou a jogada.Logo no início do segundo tempo, Roger mais uma vez perderia a melhor oportunidade do jogo até aquele momento, quando, em rápido contragolpe, ficou frente a frente com Renan, mas chutou em cima do goleiro.Insatisfeito com o rumo do jogo, o técnico René Simões resolveu mexer na equipe, sacando o próprio Roger para a entrada de Maicon, e Leandro Domingues por Marquinho. A não ser por um pouco mais de velocidade, as mexidas, a princípio, se mostraram ineficientes. Tanto que René não parou por aí e lançou mão de Tartá na vaga de Diguinho.Desta vez sim, o ritmo do Fluminense aumentou bem e começou a chegar na área adversária com mais contundência, ainda que mais na pressão do que com real qualidade no toque de bola. Aos 33 minutos, Maicon cruzou e Leandro Amaral finalizou prensado, quase abrindo o marcador.A medida que o tempo passava e a pressão pela vitória era sentida, o Fluminense aumentava sua presença ofensiva, por vezes descuidando da defesa. Depois de Luiz Alberto perder chance clara de cabeça, aos 41, Claudemir arriscou de longa distância e obrigou Fernando Henrique a fazer grande defesa.Foi o último lance de real perigo de uma partida movimentada nos minutos finais mas de qualidade técnica mediana, com Leandro Amaral, apagado, sendo muito vaiado pela torcida. Com o resultado, o Fluminense se vê obrigado a derrotar de todas as formas o Resende, sábado, no Maracanã, se ainda quiser sonhar com a Taça Guanabara.FLUMINENSE 0 X 0 MADUREIRAFluminense - Fernando Henrique; Wellington Monteiro, Luiz Alberto, Edcarlos e Leandro; Jaílton, Diguinho (Tartá), Leandro Domingues (Marquinho) e Conca; Leandro Amaral e Roger (Maicon). Técnico: René Simões.Madureira - Renan; Claudemir, Paulão, Ricardo e Rogerinho; Émerson, Wágner, André Paulino (Bruno) e Adriano Felício; Jones (Alex Alves) e Júnior Amorim (Jonatha). Técnico: Alfredo Sampaio.Cartões amarelos - Edcarlos (Fluminense); Émerson, Paulão, Claudemir, Adriano Felício, Jonatha, Rogerinho (Madureira).Árbitro - Rodrigo Nunes de Sá.Renda e público - Não disponíveis. Local - Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).

Tudo o que sabemos sobre:
Campeonato CariocaFluminenseMadureira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.