Fluminense goleia Mesquita pelo Estadual do Rio

Time tricolor não tem problemas para fazer 4 a 1 e garantir vaga nas semifinais da Taça Rio

Leonardo Maia, Agência Estado

26 de março de 2008 | 21h37

Jogando com seriedade, ainda que sem forçar muito, o Fluminense derrotou sem dificuldades o Mesquita por 4 a 1, nesta quarta-feira, no Maracanã. Com a vitória, o Tricolor já está classificado às semifinais da Taça Rio, com 16 pontos no Grupo A. O Mesquita, com apenas dois pontos no Grupo B, corre sério risco de rebaixamento. Veja também: Botafogo encara o Cardoso Moreira atrás de vaga na semifinal Vasco e América fazem duelo de opostos no Estadual do Rio O primeiro tempo foi um calmo passeio do tricolor. Aproveitando o vasto espaço cedido pelo adversário pelo lado direito de seu ataque, o Fluminense avançava a seu bel-prazer. Aos 17 minutos, Washington recebeu de Cícero livre na área e foi derrubado por Juan. O juiz ignorou o pênalti. Ficou de troco para o Mesquita. Dois minutos depois, Cícero levantou na área buscando Washington. Vinícius tentou o corte e encobriu o próprio goleiro. Sem pressa, mas mantendo o bom ritmo, o Fluminense ampliaria cinco minutos mais tarde. Sem qualquer preocupações defensivas, Junior Cesar apareceu na meia-direita para emendar bom chute de fora da área. Fluminense4Fernando Henrique; Gabriel (Rafael), Thiago Silva, Luiz Alberto e Junior Cesar; Ygor    , Maurício, David (Tartá) e Conca (Maicon); Cícero e Washington    Técnico: Renato GaúchoMesquita1Diogo Silva; Édson    , Juan, Vinícius e Vagner Eugênio; Gaúcho, Índio, Bruno Suzano e Filipinho (Wallace); Bruno Carvalho (Rodrigo (Gilcimar)) e Leandro NettoTécnico: Rubens FilhoGols: Vinícius (contra), aos 19 minutos; Junior Cesar, aos 24 minutos; Cícero, aos 31 minutos do primeiro tempo; Leandro Netto, aos dois minutos; Tartá, aos 40 minutos do segundo tempoÁrbitro: Agnaldo Xavier FariasEstádio: Maracanã Conca e Gabriel se esbaldavam pelo lado direito e tinham oportunidade de fazer o nome para a torcida. Aos 31 minutos, Gabriel passou como quis pela marcação e tocou para Cícero, uma ilha dentro da grande área, completar para as redes sem ser incomodado. No segundo tempo, o Mesquita assustou ao marcar seu gol logo aos dois minutos. Bruno Suzano recebeu na direita e cruzou para Leandro Netto, em meio à sonolenta zaga tricolor, diminuir. Mas foi um lance eventual. O Fluminense retomou as redes da partida e perdeu ótimas chances com Cícero e Ygor. A facilidade era tanta que o zagueiro Luiz Alberto chegou duas vezes ao ataque para levar perigo em cabeçadas. O goleiro Diogo Silva, porém, apareceu bem em ambas. Não fosse Diogo, por sinal, e uma noite ruim de Washington, o Mesquita teria levado mais uns dois ou três. Renato Gaúcho, então, decidiu poupar jogadores e mexeu três vezes. Tartá, Maicon e Rafael entraram. Aos 40 minutos, o garoto Tartá foi premiado com um gol por debaixo das pernas de Diogo, depois de bom passe de Washington. O tempo restante foi consumido em inócua posse de bola do Mesquita.

Tudo o que sabemos sobre:
FluminenseTaça Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.