Fluminense joga para se aproximar mais dos líderes

O Campeonato Brasileiro não é uma disputa para ver quem tem o futebol mais vistoso, mas quem tem o futebol mais vitorioso. Por isso, o técnico do Fluminense, Abel Braga, prevê uma partida renhida e disputada em alta intensidade entre o seu time e o Corinthians, neste domingo, às 16 horas, no Engenhão, pela 23.ª rodada. Não espere o torcedor por uma exibição de encher os olhos no quesito volúpia ou beleza. Será uma batalha de empenho e coração.

LEONARDO MAIA, Agência Estado

11 de setembro de 2011 | 08h44

"O Corinthians não joga bonito e não deixa você jogar bonito", avaliou Abel Braga, sem nenhuma conotação de crítica em sua frase. O que o comandante tricolor quer dizer é que o futebol apresentado pela equipe de seu amigo Tite é de extrema agressividade, sufocante e de busca pela vitória custe o que custar. "É um time muito eficiente. Eu gosto muito do time do Corinthians", disse.

Se essa for a proposta apresentada pelos corintianos, o técnico do Fluminense aceita de bom grado. Com 100% de aproveitamento no segundo turno, a equipe das Laranjeiras quer manter a campanha perfeita, mesmo que ao custo de apresentações empolgantes. Afinal, e Abel Braga tem plena consciência disso, o que as arquibancadas exigem são vitórias. "Gostaria de jogar bonito e vencer, mas nem sempre é possível. Entre a vitória e o jogo bonito, fico com a vitória".

Para o confronto deste domingo, um jogador em especial preocupa o treinador tricolor. Alex é homem que conhece dos tempos de Internacional e com quem mantinha contatos constantes quando este atuava na Rússia. "É um jogador excepcional. Vou rezar para que não acorde num bom dia, para que acorde com gripe, febre", brincou Abel Braga. "Não vamos dar espaço para ele".

A partida significa muito para o grupo tricolor. Uma vitória reduz a diferença para os líderes e pode até colocar o time na zona de classificação para a Copa Libertadores da América. O que Abel Braga quer de agora em diante é um pouco mais de consistência e deixar para trás o sobe e desce que marcou o time no primeiro turno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.