Fluminense joga sob ameaça de demissão de Abel

Com o técnico Abel Braga já sob pressão no cargo, o Fluminense enfrenta o São Paulo nesta quarta-feira, a partir das 21h50, no Morumbi, na abertura do segundo turno do Brasileirão. Um adversário bastante complicado para o time carioca, que precisa da vitória para preservar o emprego do seu treinador.

LEONARDO MAIA, Agência Estado

31 de agosto de 2011 | 07h41

Uma vitória alivia a pressão sobre Abel, enquanto nova derrota pode selar sua saída apenas quatro meses depois de sua aguardada chegada ao Fluminense. Atualmente, o clube carioca aparece em 11º lugar no Brasileirão, com 25 pontos.

Depois da saída conturbada de Muricy Ramalho, o Fluminense esperou por três meses pela liberação de Abel, que estava no futebol dos Emirados Árabes Unidos, na esperança de que o técnico reorganizasse a casa e levasse o time ao bicampeonato brasileiro. Mas não foi o que se viu. Até agora, a equipe soma seis vitórias, um empate e nove derrotas sob a tutela de Abel.

No treino de terça-feira, Abel deu mostras de que suas convicções estão abaladas e partiu em busca de alternativas que levem o time a bons resultados. Com o atacante Rafael Moura suspenso, ele descartou Rafael Sóbis e resolveu apostar no jovem Ciro.

O meia Marquinho, que cumpriu suspensão na derrota para o Botafogo no último sábado, não volta ao time titular. Fica no banco de reservas, enquanto Fernando Bob forma um meio-de-campo com três volantes, ao lado de Edinho e Diogo, para encarar o São Paulo. Assim, o meia argentino Lanzini vai ser o único armador das jogadas de ataque.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.