Antonio Lacerda/EFE
Antonio Lacerda/EFE

Fluminense leva gol no fim, só empata com Nacional e se complica na Sul-Americana

Time carioca conta com árbitro de vídeo para abrir o placar, mas vacila e cede igualdade

Gabriel Melloni, Estadão Conteúdo

24 Outubro 2018 | 21h34

O Fluminense recebeu nesta quarta-feira o Nacional, do Uruguai, ficou muito próximo de largar em vantagem nas quartas de final da Copa Sul-Americana, mas deixou o gramado do Engenhão com o sabor amargo do empate por 1 a 1. Gum marcou no início, em lance validado pelo árbitro de vídeo, e o time da casa segurou a vantagem até os 42 minutos do segundo tempo, quando Zunino, também pelo alto, selou o ótimo resultado aos visitantes.

Para ir às semifinais da Sul-Americana, o Fluminense precisa vencer ou empatar por um placar superior a 1 a 1 o confronto de volta, quarta-feira que vem, no Parque Central, em Montevidéu. Antes, porém, a equipe volta as atenções para o Campeonato Brasileiro, pelo qual visita o Santos neste sábado, na Vila Belmiro.

Sem Gilberto e Léo, lesionados, além de Igor Julião, fora da lista de inscritos, o técnico Marcelo Oliveira precisou improvisar na ala direita do Fluminense. A expectativa era de que o volante Dodi fosse o escolhido, mas o treinador surpreendeu e colocou o time para frente, com o atacante Matheus Alessandro no setor.

Se o objetivo era dar volume ao ataque, o Fluminense começou com a posse, pressionando o Nacional. Mas, por outro lado, cedeu muito espaço para o contra-ataque no setor. Foi por ali que, aos oito minutos, Castro avançou livre e deu ótima enfiada para Zunino, que finalizou por cobertura. A bola passou por Júlio César, mas Ayrton Lucas salvou de cabeça.

Mais perigoso, o Nacional assustou novamente aos 14, em chute de fora da área de Romero. E quando os visitantes pareciam à vontade, o Fluminense chegou ao gol na bola aérea. Aos 16, Sornoza cobrou falta da esquerda, Gum subiu no meio da área e cabeceou para a rede. O auxiliar marcou impedimento, mas o árbitro de vídeo entrou em ação e validou o gol em lance bastante difícil.

O gol embalou o Fluminense, que passou a dominar as ações. Aos 25, García errou feio na defesa e entregou para Ayrton Lucas, que rolou para Sornoza chutar rente ao travessão. Oito minutos mais tarde, Everaldo deu lançamento longo para Luciano, em posição de impedimento, não marcado. O atacante arrancou e bateu torto.

Mesmo com o Fluminense melhor em campo, Marcelo foi precavido e voltou para a etapa final com Airton na vaga de Matheus Alessandro, deslocando Jadson para a ala. Os donos da casa chamaram o Nacional para o ataque, deram a posse ao adversário, mas não sofriam sustos. Do outro lado, tentavam ampliar o resultado nos contra-ataques.

O Fluminense jogava por uma bola, e ela quase veio aos 30 minutos. Sornoza deu enfiada perfeita para Luciano, que driblou o goleiro e marcou. Mas o impedimento foi bem marcado. O jogo parecia controlado pelo time da casa, quando também na bola aérea o Nacional chegou à igualdade. Aos 42 minutos, Zunino aproveitou escanteio cobrado da esquerda e desviou para a rede.

FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE 1 X 1 NACIOINAL-URU

FLUMINENSE - Júlio César; Ibañez, Gum (Paulo Ricardo) e Digão; Matheus Alessandro (Airton), Richard, Jadson, Sornoza (Daniel) e Ayrton Lucas; Everaldo e Luciano. Técnico: Marcelo Oliveira.

NACIONAL-URU - Esteban Conde; Jorge Fucile, Rafael García, Alexis Rolín e Alfonso Espino; Matías Zunino, Cristian Oliva, Santiago Romero (Barcia), Gonzalo Castro (Viudez) e De Pena (Aguiar); Gonzalo Bergessio. Técnico: Alexander Medina.

GOLS - Gum, aos 16 minutos do primeiro tempo. Zunino, aos 42 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Patricio Loustau (Fifa/Argentina).

CARTÕES AMARELOS - Digão (Fluminense); Oliva (Nacional-URU).

RENDA - R$ 455.325,00.

PÚBLICO - 19.502 pagantes (20.415 presentes)

LOCAL - Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.