Fluminense mostra confiança para derrubar o 'poderoso' Boca

Equipe de Renato Gaúcho quer acabar com a sequência de vitórias do clube argentino sobre brasileiros

Bruno Lousada, O Estado de S. Paulo

28 de maio de 2008 | 10h08

Por mais que o Boca Juniors (ARG) tenha vencido os 12 últimos jogos eliminatórios contra equipes brasileiras na Copa Libertadores - a única derrota em um mata-mata foi para o Santos, de Pelé, em 1963 -, o Fluminense não se deixa intimidar pelo retrospecto do badalado adversário e garante que vai enfrentá-lo de igual para igual Nesta quarta, às 21h50, no primeiro duelo pela semifinal da competição continental. Em alto astral após eliminar o São Paulo na semana passada, numa classificação histórica, com um gol nos acréscimos, a equipe esbanja confiança para desbancar outro poderoso rival e sonha silenciar o Estádio Juan Domingo Perón, que pertence ao Racing, com um futebol envolvente para ficar mais perto de disputar a primeira decisão de Libertadores de sua história.O Boca está impedido de atuar na La Bombonera até o fim de maio como punição pelos incidentes ocorridos durante partida com o Cruzeiro, em 30 de abril, pelas oitavas-de-final da competição continental."O Boca é forte, tem uma grande torcida, eliminou todo mundo nos últimos anos, mas não é uma equipe imbatível. O Fluminense também chegou por méritos", declarou o técnico Renato Gaúcho, lembrando que sua equipe obteve a melhor campanha da fase de grupos da Libertadores.Fluminense e Boca Juniors só se enfrentaram uma vez ao longo da história. Foi em 1956, em San Lorenzo de Almagro, pelo Torneio Interclubes organizado pela Confederação Brasileira de Desportos. O time argentino venceu por 3 a 1.  Boca Juniors Migliore; Maidana, Cáceres, Paletta e Rodríguez; Cristian Chávez, Battaglia, Dátolo e Riquelme; Palacio e Palermo Técnico: Carlos Ischia  Fluminense Fernando Henrique; Gabriel, Thiago Silva, Luiz Alberto e Júnior César; Roger (Fabinho ou Maurício), Arouca, Conca e Thiago Neves; Cícero (Dodô) e Washington Técnico: Renato Gaúcho Árbitro: Roberto Silvera (URU)Estádio: Juan Domingo Perón, na cidade de Avellaneda, na GrandeHorário: 21h50TV: SporTV (só SP) e Globo A força do time argentino na Libertadores nos últimos anos é inquestionável. O Boca avançou à final nas últimas cinco vezes que disputou a atual fase da competição e não é eliminado nas semifinais desde 1991, quando perdeu a vaga para o Colo Colo, do Chile."Tabu foi feito para ser quebrado", rebateu Renato Gaúcho, com seu habitual otimismo. "O São Paulo tinha o poder de fogo do Boca e ficou para trás", provocou.O Fluminense desaprovou o estado do gramado do Estádio Juan Domingo Perón. De acordo com os jogadores, o campo é duro e desnivelado. "Mas isso não pode servir de desculpa", alertou o treinador tricolor. Craque do Boca, Riquelme disse que a partida desta quarta será difícil, pois o Fluminense joga bem e sério. Renato Gaúcho já avisou que o talentoso meia receberá marcação especial.AUSÊNCIAO Fluminense teve um desfalque de última hora. O volante Ygor sentiu uma fisgada na panturrilha esquerda e foi vetado. Para o seu lugar Renato Gaúcho deve escalar o zagueiro Roger. Os volantes Fabinho e Maurício também estão na briga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.