Fluminense muda para encarar o Volta Redonda, pelo Carioca

Técnico Renato Gaúcho deve realizar algumas alterações após tropeço na Taça Guanabara

Leonardo Maia, Agência Estado

28 de janeiro de 2008 | 19h01

Como previsto, o primeiro tropeço do Fluminense no ano (empate em 2 a 2 com o Macaé, sábado) já suscitou as discussões se o técnico Renato Gaúcho deve ou não manter o esquema com três meias e três atacantes para o jogo desta terça-feira contra o Volta Redonda, às 19h30, no Maracanã, pela quarta rodada da Taça Guanabara. "Se eu não coloco os três para jogar, vão me criticar. Se eu coloco, também vão dizer que o time fica exposto", reclamou Renato. A tendência, porém, é que o treinador mantenha a formação. Por quanto tempo serão os resultados que irão dizer.Com sete pontos no grupo A, o Fluminense precisa vencer para não permitir um possível afastamento do Flamengo, que lidera a chave com nove pontos. O Volta Redonda vem da primeira vitória no campeonato, 4 a 2 sobre o América, e a única dúvida do técnico Valter Ferreira é o zagueiro Alemão, com dores na panturrilha.Renato, ex-atacante, tem fé no futebol ofensivo e seus jogadores também apóiam o trio de ataque, que passou em branco pela segunda vez em três partidas. "O Renato vai acertar o posicionamento de todos. Com obediência tática, ninguém fica sobrecarregado", disse o volante Ygor, único marcador do meio-campo tricolor. FluminenseDiego; Gabriel, Thiago Silva, Luiz Alberto e Gustavo Nery; Ygor, Arouca e Thiago Neves; Leandro Amaral, Dodô e WashingtonTécnico: Renato Gaúcho Volta RedondaEdinho; Julio Cezar, Alemão (Carlão), Ailson, Vinícius e Hamilton; Marcinho, Alexandre e Glauber; Léo Guerra e DeniTécnico: Valter FerreiraÁrbitro: Antonio Frederico SchneiderEstádio: MaracanãHorário: 19h30TV: PPV"As falhas vão ocorrer, mas com os treinos a gente vai corrigir. Quando este esquema estiver encaixado, ninguém vai correr errado", espera Ygor, que reconheceu que falhou no lance do primeiro gol macaense, ao estar mal colocado.O goleiro Diego, entretanto, não parece concordar plenamente. "É claro que este tipo de esquema sobrecarrega a defesa", admite o camisa 1 tricolor, que assumiu o posto de titular neste início de ano. Diego, inclusive, já acusa que uma ligeira pressão se faz sentir nas Laranjeiras. "A torcida tem razão em nos cobrar. Precisamos dar algo mais. Fico assustado porque já é o segundo jogo (em que ficamos atrás no placar) e temos que buscar a vitória".Outro fator que pode forçar alteração no esquema tático é a regularização do meia argentino Conca, que ainda não se concretizou. Renato poderá optar por tirar um dos atacantes para sua entrada. Por enquanto, nada muda."Infelizmente, não posso mudar as regras e escalar mais de 11. Por enquanto, meus titulares são os que começaram jogando (contra o Macaé)", garantiu o técnico que mantém o apoio ao criticado Gustavo Nery e o discurso de que o elenco tricolor é excelente e que terá muito sucesso na temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.