Gregg Newton/AFP
Gregg Newton/AFP

Fluminense perde do Barcelona-EQU e deixa a Florida Cup sem vencer

Marcos Júnior abre o placar, mas equatorianos viram e vencem por 3 a 1

Gabriel Melloni, Estadão Conteúdo

15 Janeiro 2018 | 21h10

O Fluminense perdeu para o Barcelona de Guayaquil por 3 a 1, de virada, e deixou a Florida Cup sem vencer. Em Orlando, os comandados de Abel Braga voltaram a apresentar muitas dificuldades diante dos equatorianos, nesta segunda-feira, e mostraram que o torcedor tricolor deverá mesmo sofrer neste início de temporada.

+ Após desabafo, presidente do Fluminense admite liberar Dourado

No dia em que foi confirmada a ida de Gustavo Scarpa para o Palmeiras, o Fluminense mostrou a falta que sente de um jogador criativo no meio de campo e sofreu para incomodar o adversário. O lateral Gilberto foi um dos poucos a tentar algo diferente. Para piorar, a defesa acumulou falhas e facilitou a tarefa do Barcelona.

O time brasileiro já havia caído nos pênaltis na primeira partida em Orlando, diante do PSV, após empate por 1 a 1 no tempo normal. Agora, tenta reagir para a estreia no Campeonato Carioca, uma vez que entra em campo já nesta quarta-feira para encarar o Boavista, em Bacaxá. Abel levará a campo uma escalação reserva.

Nesta segunda, o Fluminense entrou em campo com uma formação diferente da que perdeu nos pênaltis para o PSV Eindhoven, na sexta-feira, mas manteve o esquema com três zagueiros. Abel levou a campo: Marcos Felipe; Gum, Ibañez e Renato Chaves; Gilberto, Mateus Norton, Jadson, Sornoza e Marlon; Marcos Júnior e Henrique Dourado.

As mudanças surtiram efeito e o Fluminense começou melhor do que o adversário. Livre para atacar, Gilberto era a principal arma ofensiva da equipe. Aos seis, ajeitou para Jadson levar perigo em chute de fora da área. Já aos 12, decidiu ele mesmo arriscar de longe, exigindo trabalho de Banguera.

O Barcelona teve seu primeiro bom momento aos 16, quando Dinenno não pegou em cheio após falta cobrada da direita. Mas o Fluminense era superior e abriria o placar na sequência. Aos 22 minutos, Sornoza deu enfiada precisa pela esquerda para Marlon, que invadiu a área e tocou para o meio. Marcos Júnior se jogou de carrinho e marcou.

O Fluminense não diminuiu o ritmo e teve outros bons momentos com Henrique Dourado e Sornoza, mas as finalizações não foram boas. O Barcelona só ameaçou aos 32, em chute de Vera que parou em Marcos Felipe.

Mas o time equatoriano voltou diferente para a etapa final e assustou aos nove, quando Castillo cruzou para Dinenno, que cabeceou mal. O empate sairia dois minutos depois. Vera recebeu no meio e mostrou calma para encontrar ótima enfiada de bola para Castillo, nas costas de Marlon. O atacante avançou e tocou no meio, onde Betancourt apareceu sozinho para finalizar para a rede.

Inspirado, Betancourt não demoraria para aproveitar outra falha defensiva tricolor para virar. Somente oito minutos depois, o goleiro Banguera deu chutão para frente, Gum cochilou, o atacante equatoriano tomou a frente do zagueiro e teve calma para deslocar o goleiro.

Sem força para reagir, o Fluminense pouco ameaçou a vitória do adversário. Somente em lampejos de Gilberto a equipe atacava, como aos 25, quando o lateral deu bom passe na área para Jadson, que pegou mal na bola e desperdiçou grande chance. Aos 41, Pablo ainda tentou de muito longe e exigiu boa defesa de Banguera. Mas aos 49, o time brasileiro foi castigado com um golaço de fora da área de Castillo, que selou o placar.

Mais conteúdo sobre:
Fluminense

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.