Luisa González/Reuters
Luisa González/Reuters

Fluminense perde na Colômbia, mas garante vaga nas oitavas da Copa Sul-Americana

Tricolor se classifica mesmo após derrota por 1 a 0 para o Atlético Nacional, no estádio Atanasio Girardot

Redação, Estadão Conteúdo

30 de maio de 2019 | 00h06

Mesmo derrotado pelo Atlético Nacional, por 1 a 0, nesta quarta-feira, em Medellín, o Fluminense obteve a classificação para as oitavas de final da Copa Sul-Americana por ter vencido o jogo de ida, no Maracanã, por 4 a 1. O próximo adversário da equipe carioca será o Peñarol, do Uruguai.

Com experiência no futebol brasileiro, Barcos foi o jogador que deu mais trabalho ao Fluminense. O argentino marcou o único gol da partida, acertou a trave e criou lances perigosos, repetindo o que havia feito no Rio, quando também havia ido às redes, em cobrança de pênalti.

Mas não foi suficiente para impedir a classificação do Fluminense, que sofreu com a atuação irregular do goleiro Agenor, mas viu a defesa evitar uma derrota por placar maior numa noite de pouca inspiração do setor ofensivo, o que incluiu uma incrível chance perdida por Luciano no começo do duelo.

O Fluminense voltará a jogar no domingo, às 16 horas, contra o Athetico-PR, na Arena da Baixada, pela sétima rodada do Brasileirão.

O JOGO

Os primeiros 15 minutos foram impressionantes, com as duas equipes perdendo várias oportunidades de gol. O Atlético Nacional partiu para cima e o Fluminense, apesar de poder perder por dois gols de diferença, atacou com a mesma disposição.

Com a postura das equipes, o início da partida foi sensacional. Matheus Ferraz acertou a trave, após um forte cabeceio, logo aos dois minutos, e quase abriu o placar para o Fluminense. No minuto seguinte, Barcos fez o gol do Atlético Nacional, em cabeceio bem colocado.

Aos quatro minutos, Luciano conseguiu chutar para fora uma bola que estava a um passo do gol colombiano. O empate naquele momento seria muito importante para diminuir o ímpeto do adversário.

Aos seis minutos, Barcos arriscou de fora da área e quase fez mais um. Aos oito, o atacante acertou a trave direita de Agenor. O Fluminense só foi assustar o goleiro Cuadrado de novo aos 18 minutos, após bonita bicicleta de Luciano, que passou por cima.

Como não era possível manter a mesma velocidade de jogo o tempo todo, os times diminuíram a intensidade e aí o Fluminense passou a ter mais domínio de bola. O problema era o excesso de confiança na saída de bola, que causou algumas oportunidades desperdiçadas pelos colombianos. Aos 41 minutos, no último lance de perigo da primeira etapa, Matheus Ferraz, mais uma vez, finalizou e Cuadrado defendeu em cima da linha.

O segundo tempo foi disputado como se esperava desde o início, com o Atlético Nacional no ataque, enquanto o Fluminense se defendia. Só que faltou inspiração para os times e as chances de gol rarearam. Luciano teve uma oportunidade, aos 20 minutos, mas errou o alvo. Aos 27, Barcos lançou para Hernández, que tirou de Agenor, mas mandou para fora. Nervoso, o Atlético Nacional cometeu vários erros de passes, inclusive perto de sua área. João Pedro e Allan tiveram chances, mas falharam.

O fim do jogo foi de muita vontade dos dois times, que abusaram dos erros. Mesmo sem muita técnica, o Atlético Nacional forçou em busca do segundo gol, mas não teve sucesso. O Fluminense teve espaço para criar e também decepcionou.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO NACIONAL 1 X 0 FLUMINENSE

ATLÉTICO NACIONAL - Cuadrado; Palacios, Bocanegra, Moya e Mafla; Gómez (León Ramirez), Rovira e Ceppelini (Deiver Machado); Caicedo (Hayen Palacios), Barcos e Vladimir Hernández. Técnico: Alejandro Restrepo.

FLUMINENSE - Agenor; Gilberto, Matheus Ferraz, Nino e Caio Henrique; Allan, Daniel (Airton) e Paulo Henrique Ganso (Caio); Luciano (Igor Julião), Yony González e João Pedro. Técnico: Fernando Diniz.

GOL - Barcos aos três minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Patricio Loustau (Argentina).

CARTÕES AMARELOS - Caicedo, Luciano, Igor Julião.

RENDA E PÚBLICO - Não divulgados.

LOCAL - Estádio Atanasio Girardot, em Medellín (Colômbia).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.