Marcelo Sayao/ EFE
Marcelo Sayao/ EFE

Fluminense só empata com o La Calera no Maracanã na estreia pela Sul-Americana

Placar obriga o time carioca a vencer ou empatar por dois ou mais gols de diferença fora de casa para avançar à próxima etapa

Leandro Silveira, Estadao Conteudo

04 de fevereiro de 2020 | 23h44

O Fluminense não foi além de um empate na sua estreia na Copa Sul-Americana. O time até abriu vantagem e esteve em vantagem numérica no fim do segundo tempo, mas não conseguiu aproveitar o cenário favorável, ficando no 1 a 1 com o chileno Unión La Calera no jogo de ida da primeira fase, disputado no Maracanã, na noite desta terça-feira.

O placar obriga o Fluminense a vencer ou empatar por dois ou mais gols de diferença fora de casa para avançar à próxima etapa. Novo 1 a 1 leva o duelo aos pênaltis e qualquer outro resultado vai fazer o time carioca ser eliminado precocemente.

A partida foi acompanhada no estádio por Alisson, goleiro do Liverpool e da seleção brasileira, que viu de perto a equipe do irmão Muriel. E deve ter observado que o esquema de Odair Hellmann, sem um centroavante e com Nenê e Miguel se revezando no comando de ataque, não funcionou, tanto que a produção ofensiva da equipe foi praticamente nula na etapa inicial, esbarrando na marcação adversária. No segundo tempo, Evanilson, que deixou o banco, até colocou o time em vantagem, mas o Fluminense não conseguiu sustentar o placar favorável.

O duelo de volta entre Fluminense e La Calera vai ser disputado em duas semanas, no dia 18, no Chile. Mas o próximo compromisso do time será outro, no domingo, novamente no Maracanã, diante do Botafogo, pela rodada final da primeira fase da Taça Guanabara.

O JOGO

Fluminense e La Calera fizeram um primeiro tempo fraco no Maracanã. Com muitos erros de passes, o time carioca tinha dificuldades para construir suas jogadas. Até por isso, suas poucas oportunidades surgiram em contra-ataques ou após erros do time chileno. Foi assim, por exemplo, que apareceu a primeira. Aos 17 minutos, Nenê puxou contra-ataque e buscou acionar Miguel. Vilches até fez o corte parcial, mas a bola sobrou para o atacante, que bateu de primeira, para a defesa de Arias.

Uma exceção, portanto, veio aos 28, com uma jogada mais construída: Matheus Alessandro acionou na área Miguel, que bateu na saída de Arias, só que para fora. Mas com dificuldades para criar, o Fluminense também via o La Calera trocar passes, ainda que sem muita efetividade. E só voltaria a ameaçar no fim da etapa inicial. Aos 39, a defesa chilena afastou mal uma cobrança de falta, Luccas Claro cabeceou na direção da área para Gilberto, livre, chutar, exigindo difícil defesa de Arias.

Na volta do intervalo, Hellmann buscou tornar o Fluminense mais ofensivo ao sacar um dos meio-campistas - Yago Felipe - para promover a entrada do atacante Marcos Paulo, recuperado de lesão e que fez a sua estreia pelo time em 2020. Mas o cenário do jogo custou a se alterar.

De fato, o Fluminense passou a ficar mais no campo de ataque e também teve mais a posse de bola, com o La Calera retraído. Mas demorou para criar lances de perigo. E quando elas surgiram, falhava. Foi assim aos 18 minutos, quando Miguel foi acionado por Matheus Alessandro na grande área e cruzou para trás, mas ninguém chegou para finalizar. E a chance perdida foi mais incrível aos 21, com Miguel chutando em cima de Arias após lindo passe de calcanhar de Nenê.

Só que aí os jogadores que saíram do banco brilharam. Marcos Paulo acionou Evanilson dentro da grande área, com o atacante chutando no canto esquerdo, aos 25, para fazer 1 a 0. Mas a resposta do La Calera foi imediata. Aos 28 minutos, Hudson perdeu dividida e Saez ajeitou para Castellani, da meia-lua, bater no cantinho, igualando o placar numa jogada em que pareceu faltar concentração ao Fluminense. Foi uma das duas únicas finalizações do time chileno na partida.

Restou ao time se lançar ao ataque para buscar a vitória. E até ficou em vantagem numérica aos 38 minutos, após a expulsão de Thomas Rodríguez, que levantou demais o pé e atingiu o rosto de Digão em disputa de bola. Mas mal ameaçou a meta do La Calera, que volta ao Chile em vantagem no confronto pela primeira fase da Sul-Americana.

FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE 1 X 1 UNIÓN LA CALERA

FLUMINENSE - Muriel; Gilberto, Digão, Luccas Claro e Egídio; Henrique, Hudson, Yago Felipe (Marcos Paulo) e Nenê; Matheus Alessandro (Evanilson) e Miguel (Michel Araújo). Técnico: Odair Hellmann.

UNIÓN LA CALERA - Martin Arias; Andía, Vilches, García e Cordero; Leiva, Seymour (Thomas Rodríguez), Valencia, Castellani e Stefanelli (Cáceres); Saez. Técnico: Juan Pablo Vojvoda.

GOLS - Evanilson, aos 25, e Castellani, aos 28 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Carlos Herrera Bernal (Colômbia).

CARTÕES AMARELOS - Hudson, Miguel e Michel Araújo (Fluminense); Valencia, Castellani, Thomas Rodríguez e Leiva (Unión La Calera).

CARTÃO VERMELHO - Thomas Rodríguez (Unión La Calera).

RENDA - R$ 562.265,00.

PÚBLICO - 16.528 pagantes (17.671 presentes).

LOCAL - Maracanã, no Rio.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa Sul-americanaFluminense

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.