Fluminense também perde e está fora

A exemplo do Flamengo, o Fluminense está eliminado da fase semifinal da Taça Guanabara (primeiro turno do Campeonato Carioca). Com um gol do meia Joílson nos acréscimos, o Tricolor, clube que mais investiu em reforços para a disputa do Estadual, perdeu nesta quarta-feira para a Cabofriense, por 3 a 2, na rodada dupla no Maracanã - antes o Rubro-Negro protagonizou vexame similar, ao ser derrotado pelo Americano, por 2 a 1, de virada. Diferente de outras épocas, Fluminense e Flamengo disputarão um clássico no sábado de carnaval apenas para cumprir tabela. A Cabofriense, do técnico Paulo César Gusmão, alcançou 9 pontos, divide a liderança com o Americano, e precisa apenas de um empate contra o Madureira, em casa, para garantir uma vaga na reta final da Taça Guanabara ? classificam-se os dois primeiro colocados de cada grupo (A e B). No fim do jogo, a torcida do Fluminense hostilizou técnico, jogadores e dirigentes. Foi uma noite trágica para tricolores e rubro-negros. O Fluminense fez apenas três boas jogadas no primeiro tempo. Em uma delas, o meia Marquinho arriscou um chute de fora da área e a bola entrou no ângulo direito do goleiro Flávio, que nada pôde fazer: 1 a 0. O volante Preto Casagrande, em cobrança de falta, e o lateral-direito Gabriel obrigaram Flávio a fazer boas defesas. No mais, o Tricolor errou passes em excesso e faltou criatividade aos jogadores de meio-de-campo. Felipe recebeu marcação especial de Marins e, na maioria das vezes, sofreu falta. O sistema defensivo do Fluminense pouco foi incomodado pelo Cabofriense, que tentou explorar o contra-ataque, sem êxito, na primeira etapa. O intervalo fez bem à equipe do técnico Paulo César Gusmão, que voltou para o segundo tempo com uma postura mais ofensiva. Tanto é que, nos cinco minutos iniciais, fez um gol e desperdiçou duas ótimas oportunidades para virar o placar. Têti cobrou falta e Felipe, livre de marcação, cabeceou com precisão: 1 a 1. A zaga tricolor falhou feio. No lance seguinte ao gol de empate, Joílson partiu com a bola dominada desde o meio-de-campo e, sozinho, chutou em cima do goleiro Kleber. A bola ainda subiu e quase caiu nas redes tricolores. O Fluminense deu a resposta em bela cobrança de falta de Preto Casagrande, que passou rente à trave de Flávio.Mais organizada em campo, a Cabofriense não se acomodou com a igualdade no marcador. E, após belo passe de Felipe, Diego driblou Kleber e concluiu bem para o gol vazio: 2 a 1. Quase no fim do jogo, Tuta aproveitou bom cruzamento de Preto Casagrande e, de cabeça, marcou: 2 a 2. Quando parecia que o jogo terminaria empatado, a estrela do meia Joílson brilhou. Já nos acréscimos, ele arrancou com a bola antes do meio-de-campo, invadiu a área tricolor e na saída de Kleber deu um leve toque para marcar um belo gol: 3 a 2. Não havia tempo para mais nada.

Agencia Estado,

02 de fevereiro de 2005 | 23h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.