Fluminense vai de 3-5-2 no Mangueirão

A decepção por não ter conquistado o título do Carioca já faz parte do passado na cabeça dos jogadores do Fluminense. Amanhã, contra o Paysandu, às 20h30, no Estádio Mangueirão, o Tricolor estréia no Campeonato Brasileiro buscando realizar uma campanha de vitórias, culminando na conquista da competição mais importante do País. Uma taça que os cariocas só conseguiram em 1984. Naquele ano, o atual técnico Ricardo Gomes era o comandante da zaga tricolor. E, procurando mostrar que entende da posição, ele optou por fazer uma mudança radical no esquema tático do Fluminense. Se no Carioca, a escolha foi pelo tradicional 4-4-2, agora o treinador decidiu testar o 3-5-2, uma formação que dificilmente mostra-se eficiente no futebol brasileiro. "Dizem que o jogador do Brasil não se adapta ao esquema com três zagueiros. Treinamos bastante, aprimoramos o posicionamento e acho que ficamos fortes na defesa. Estamos com um equilíbrio maior", afirmou Ricardo Gomes. A idéia do treinador em mudar para o 3-5-2 é a de proporcionar uma maior liberdade a Roger, que atuará no ataque ao lado de Romário. Quem gostou da modificação efetuada por Ricardo Gomes foi o meia Ramon. Com Roger no ataque e os volantes Marcão e Juca responsáveis pela marcação, o jogador atuará sem a obrigação de voltar e ajudar os companheiros no combate aos atletas adversários. "Espero ficar próximo aos atacantes. E também poder aparecer mais vezes com possibilidade de concluir em gol", disse Ramon. O lateral-direito Arílson, de 20 anos, terá a sua primeira oportunidade nos profissionais. Como o titular Leonardo Moura está machucado, o treinador optou por dar uma chance à jovem promessa tricolor. "A idéia não era escalá-lo agora, mas ele vem treinando bem e tem a minha confiança", declarou o treinador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.