Fluminense vence com arbitragem polêmica

O árbitro Wagner Tardelli Azevedo teve participação decisiva na vitória do Fluminense sobre o Botafogo, neste domingo, por 2 a 1, em Volta Redonda. Ele ignorou dois pênaltis a favor da equipe alvinegra e assinalou outra infração inexistente para o time do técnico Abel Braga. Alheio à polêmica, o Fluminense alcançou o mesmo número de pontos (23) da líder Ponte Preta, mas perde em saldo em gols (9 contra 8). Já o Botafogo permaneceu com 18 pontos, cinco atrás do primeiro colocado, e totalizou a quarta derrota seguida no Campeonato Brasileiro. O resultado não resumiu o que foi o clássico. O Botafogo foi melhor em campo, criou as melhores oportunidades, mas faltou um pouco de sorte e também de competência na hora de marcar. No primeiro tempo, o time do técnico Péricles Chamusca desperdiçou quatro chances de balançar a rede adversária. Em uma delas, o lateral-direito Márcio Gomes cabeceou a bola na trave. Já o time das Laranjeiras não fez uma grande partida, porém teve o mérito de aproveitar as poucas chances que produziu. Antes do intervalo, o atacante Beto arrancou com a bola, aplicou um drible que desconcertou a zaga alvinegra e chutou forte: 1 a 0, aos 45 minutos. Um belo gol. Na etapa final, o Botafogo não ameaçou tanto o gol do Fluminense. O jogo ficou meio truncado, muito corrido e com vários cartões amarelos.Na base da insistência, o Alvinegro empatou com um gol de pênalti, marcado por Alex Alves, aos 11 minutos, depois que o estreante zagueiro Gabriel interceptou a bola com a mão dentro da própria área. O Fluminense manteve o ritmo e contou com uma ?ajudazinha? da arbitragem para fazer 2 a 1. O atacante Leandro foi desarmado na bola pelo zagueiro Rafael Marques, mas o juiz não entendeu assim. Gabriel cobrou o pênalti rasteiro, com eficiência, no canto direito de Max, aos 32 minutos. No fim da partida, sobrou reclamação por parte da comissão técnica e do elenco alvinegro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.