Fluminense vence de virada e mantém 100% na Taça Rio

Equipe do técnico Carlos Alberto Parreira bate o Friburguense por 3 a 1 e fica mais perto da semifinal

Fabio Lacerda, Agencia Estado

24 de março de 2009 | 22h16

Pela terceira vez consecutiva, o Fluminense venceu de virada e por 3 a 1 no Campeonato Carioca. Na noite desta terça-feira, a equipe derrotou o Friburguense, manteve os 100% de aproveitamento na Taça Rio e segue firme na busca pela classificação para as semifinais. O resultado, além de ter sido bom para os comandados de Carlos Alberto Parreira, ajudou o Flamengo no Grupo B.

Veja também:

tabela Estadual do Rio 2009 - Classificação / Resultados / Calendário

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

A partida em Nova Friburgo começou em alta velocidade. O Friburguense partiu para cima do Fluminense e, aos nove minutos, foi recompensando pela pressão exercida. A defesa do Friburguense chutou a bola para o campo ofensivo, Hércules levou a melhor sobre Cássio, e Ziquinha, rápido, aproveitou o espaço pela esquerda. O atacante olhou para dentro da área e, na tentativa de cruzar para Hércules, encobriu Ricardo Berna e abriu a contagem.

O Fluminense, atônito em razão da correria implantada pelos jogadores do Friburguense, exigiu do goleiro Marcos somente aos 22 minutos. Éverton Santos, que caiu pela esquerda, recebeu passe, e mesmo sem ângulo, chutou para o gol. Marcos espalmou para a linha de fundo. Três minutos depois, no segundo chute ao gol, o Fluminense igualou o placar.

Luiz Alberto chutou a bola para a frente, Éverton Santos desviou de cabeça, e chegou em Roger, que tirou Roberto Júnior e Cadão da jogada e chutou rasteiro de perna esquerda para marcar o seu terceiro gol no Campeonato Carioca.

Aos 30 minutos, Roger quase desempatou ao concluir na segunda trave um cruzamento da direita efetuado por Mariano. Aos 43 minutos, o árbitro Marcelo de Lima Henrique expulsou Wallace, zagueiro do Friburguense, por excesso de reclamação.

Na etapa complementar, o Fluminense foi soberano e tirou proveito da superioridade numérica. Aos dois minutos, Conca deixou Roger em boas condições dentro da área, mas o atacante perdeu o equilíbrio e o gol. Aos sete, o Fluminense desempatou. Conca fez jogada individual, deixou três marcadores para trás e tocou rasteiro, no canto inferior esquerdo do goleiro Marcos.

Na única chance do Friburguense no segundo tempo, Elan, que entrou no lugar de Hércules, recebeu bom passe de Alex e chutou sobre o gol de Ricardo Berna, aos 20 minutos. A partir daí, o Fluminense poderia ter aplicado uma goleada. Aos 25 minutos, a jogada que originou o pênalti. Jaílton lançou errado, Alex matou no peito para dentro da área e João Paulo se antecipou e foi derrubado, causando a expulsão do jogador do Friburguense.

Thiago Neves teve que cobrar duas vezes. Na primeira tentativa, Marcos pegou, mas o auxiliar João Luis Coelho de Albuquerque assinalou irregularidade, e o árbitro Marcelo de Lima Henrique mandou voltar. Na repetição da cobrança, bola de um lado e goleiro do outro. Maicon e Thiago Neves poderiam ter ampliado o marcador, mas o goleiro Marcos conseguiu conter o ímpeto do ataque tricolor.

FRIBURGUENSE 1 X 3 FLUMINENSE

Friburguense - Marcos; Sérgio Gomes, Cadão, Wallace e Gílson; Roberto Júnior, Bidu, Alex e Victor Hugo (Crispin); Ziquinha (Cássio) e Hércules (Elan). Técnico: Cleimar Rocha.

Fluminense - Ricardo Berna; Mariano, Cássio, Luiz Alberto e João Paulo; Jaílton (Fabinho), Wellington Monteiro (Marquinho), Conca e Thiago Neves; Éverton Santos (Maicon) e Roger. Técnico: Carlos Alberto Parreira.

Gols - Ziquinha, aos 9, e Roger, aos 25 minutos do primeiro tempo; Conca, aos 7, e Thiago Neves, aos 29 minutos do segundo tempo.

Árbitro - Marcelo de Lima Henrique.

Cartões amarelos - Alex, Ziquinha, Bidu, Wallace e Victor Hugo (Friburguense); Maicon, Cássio e João Paulo (Fluminense).

Cartões vermelhos - Wallace e Alex (Friburguense).

Local - Estádio Eduardo Guinle, em Nova Friburgo (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.