Marcelo Sayão/EFE
Marcelo Sayão/EFE

Fluminense vence o Arsenal na estreia da Libertadores

Equipe carioca sofre para passar pela marcação argentina, mas triunfa com gol de Fred

LEONARDO MAIA, Agência Estado

08 de fevereiro de 2012 | 00h08

RIO - Não foi bonito, não foi vistoso, muito menos com a tranquilidade que a torcida e especialistas esperavam. Mas o Fluminense superou o primeiro obstáculo na Copa Libertadores. A vitória por 1 a 0 sobre o Arsenal, da Argentina, nesta terça-feira, no Engenhão, com um gol no início de Fred, foi construída com boa dose de sofrimento, outra boa porção de sorte e muito nervosismo, com três expulsões. Ajudou bastante a incapacidade técnica ofensiva da equipe argentina, que mesmo assim desperdiçou muitas chances na primeira etapa.

O Fluminense larga com três pontos no Grupo 4 e agora tem um mês para consertar os equívocos apresentados nesta terça para um confronto muito mais complicado: o Boca Juniors, no estádio La Bombonera, em Buenos Aires, no dia 7 de março. "O importante é estrear vencendo. Tinha também um pouco de nervosismo. Jogamos melhor no segundo tempo, mas não criamos muitas chances", avaliou Deco.

Quando Fred abriu o placar logo a dois minutos, em chute desviado pela zaga, a impressão que se tinha é que a partida seria um passeio no parque para os brasileiros. Ledo engano. Depois de minutos de pressão, os tricolores começaram a errar muitos passes na saída de bola e os argentinos foram percebendo que o monstro não era tão feio como parecia.

Foram pelo menos três chances nítidas de empatar. Uma delas invalidada por um impedimento inexistente. Leguizamón perdeu frente a frente com Diego Cavalieri, que salvou com o pé, aos 35. No minuto seguinte, Carbonero cabeceou mal, completamente livre.

Fred teve ainda uma boa chance pouco antes, mas chutou mal. O Fluminense saiu em um grande lucro ao levar a vantagem de 1 a 0 para o intervalo. "No início fomos bem, mas depois ficamos afoitos e começamos a errar na saída de bola e isso deu moral para eles", analisou Fred, com precisão.

O segundo tempo começou como o primeiro terminou. O Arsenal em cima e o Fluminense um tanto atordoado, parecendo nervoso. A torcida clamou por Thiago Neves. Com a situação se deteriorando, o técnico Abel Braga atendeu ao pedido e convocou o camisa 7, que entrou no lugar do sumido Rafael Sóbis.

A tensão foi crescendo ao ponto de Wagner agredir Aguirre com um chute e sofreu o revide em forma de empurrão. Ambos foram expulsos, aos 30 minutos. Leandro Euzébio também agrediu um oponente, aos 45, e foi excluído da partida, iniciando uma série de bolas alçadas na área que por pouco não culminaram no empate.

FLUMINENSE 1 x 0 ARSENAL-ARG

FLUMINENSE - Diego Cavalieri; Bruno, Leandro Euzébio, Anderson e Carlinhos; Edinho, Diguinho (Digão), Wagner e Deco (Wellington Nem); Rafael Sóbis (Thiago Neves) e Fred. Técnico: Abel Braga.

ARSENAL-ARG - Campestrini; Nervo (Gonzalez), López, Burdisso e Pérez; Carbonero, Esmerado (Torres), Marcone e Aguirre; Zelaya (Córdoba) e Leguizamon. Técnico: Gustavo Alfaro.

GOL - Fred, aos 2 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Deco e Fred (Fluminense); Campestrini e Torres (Arsenal-ARG).

CARTÕES VERMELHOS - Wagner e Leandro Euzébio (Fluminense); Aguirre (Arsenal-ARG).

ÁRBITRO - Antonio Arias (Fifa-Paraguai).

RENDA - R$ 765.415,00.

PÚBLICO - 25.213 pagantes.

LOCAL - Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão), no Rio de Janeiro (RJ).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolLibertadoresFluminenseArsenal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.