Fluminense x Vasco reabre o Maracanã para os clubes

O "novo" Maracanã, da iniciativa privada e dos ingressos caros, será oficialmente reaberto neste domingo para os clubes cariocas. E o clássico entre Fluminense e Vasco começou antes mesmo da bola rolar, em uma semana marcada por polêmicas e discussões envolvendo os lugares que cada torcida vai ocupar às 18h30, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Dentro de campo, as equipes precisam da vitória - ambas não vencem há três jogos.

AE, Agência Estado

21 de julho de 2013 | 08h17

A torcida do Fluminense vai ficar no lugar que, tradicionalmente no antigo Maracanã, era dos vascaínos. Por isso, os clubes não entraram em acordo quanto à divisão da renda, que inicialmente seria de 50%/50%, mas agora vai toda para o Fluminense e o consórcio Maracanã S.A., que ganhou do governo do Rio de Janeiro o direito de explorar o estádio pelos próximos 35 anos.

Revoltado com a posição do Fluminense, que não abriu mão do setor ao lado direito das tribunas de imprensa, o presidente do Vasco, Roberto Dinamite, chegou a pedir ao seu torcedor para boicotar o clássico. Mas ainda assim boa parte dos ingressos para vascaínos foram vendidos. O técnico Dorival Júnior ignorou o presidente e convocou a torcida: "Não tenho dúvida de que os vascaínos vão abraçar a equipe novamente".

Polêmicas à parte, o jogo vai marcar o retorno de dois veteranos, um de cada lado. No Vasco, Juninho Pernambucano vai reestrear pelo clube após a rescisão com o New York Red Bull. No time tricolor, Deco está de volta depois da acusação por doping, que o deixou de fora de jogos importantes na temporada, como na eliminação na Copa Libertadores.

O técnico Abel Braga elogiou Juninho Pernambucano. "O Vasco ganha muito com a volta dele. Do mesmo jeito que o Fluminense ganha com o Deco. Juninho é um excelente jogador e até domingo eu vou ganhar alguns cabelos brancos por causa das jogadas de bola parada dele", brincou o treinador.

Como trunfo, o time tricolor terá o atacante Fred, que tem a ótima média de 0,81 gol por jogo no Maracanã: 27 gols em 33 partidas. O atacante vai voltar ao estádio após os dois gols marcados na final da Copa das Confederações, na vitória sobre a Espanha por 3 a 0. Será também o retorno do torcedor carioca, que já conheceu como pode ser o Maracanã no "padrão Fifa" e agora quer saber se o mesmo nível será mantido para os jogos do Brasileirão.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoFluminenseVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.