'Foi a melhor derrota da minha vida', celebra Mourinho

O técnico José Mourinho comemorou a classificação da Inter de Milão para a final da Liga dos Campeões como se fosse um título nesta quarta-feira. Jogando no Camp Nou, na Espanha, o time italiano perdeu por 1 a 0, mesmo atuando com um jogador a menos desde a metade do primeiro tempo, e assegurou a vaga na decisão porque vencera o jogo de ida por 3 a 1.

AE, Agência Estado

28 de abril de 2010 | 20h04

"É uma alegria incrível. Já ganhei a Liga dos Campeões [no comando do Porto, em 2004], mas eu devo dizer que hoje foi melhor do que vencer a Liga", festejou o português. "Foi um jogo extraordinário. Os jogadores deram o sangue e a torcida foi maravilhosa. Foi a melhor derrota da minha vida. Este time mereceu empatar por 0 a 0".

Para o treinador, a eliminação do Barcelona, mesmo com dez jogadores em campo, foi um feito histórico. "É difícil enfrentar o Barcelona com 11 jogadores. Com dez, é um feito histórico. Um time sem organização tática pode levar quatro ou cinco gols aqui. O Barcelona é o melhor time do mundo na posse de bola. Mas nos mostramos bem compactos em campo, jogando bem em zonas, fechando os espaços", disse, satisfeito.

Mourinho ainda comentou a confusão que quase teve início após o apito final, por causa de sua comemoração. O treinador saiu correndo pelo gramado e festejou a vitória diante da torcida, o que irritou Victor Valdés. O goleiro do Barcelona foi tirar satisfação com Mourinho, mas acabou impedido pelos próprios companheiros.

"Valdés achou que eu estava festejando de maneira negativa, provocando o público, mas eu estava celebrando com os torcedores da Inter que estavam naquela parte da arquibancada", explicou o técnico da Inter.

Sobre a decisão, no dia 22 de maio, Mourinho disse esperar uma grande partida com o Bayern de Munique. "O Bayern é um time cheio de grandes jogadores, de muita tradição. Será um grande jogo. É uma pena que Thiago Motta e [Frank] Ribéry não possam jogar". Os dois jogadores estão suspensos.

Para os jogadores da Inter, a classificação compensou as dificuldades durante os 90 minutos da partida. "Sabíamos que iríamos sofrer neste estádio maravilhoso, mas conseguimos fazer o que devíamos nesta noite. Tínhamos consciência de que, se nos defendêssemos bem, teríamos boas chances", disse Samuel Eto''o, que fará sua terceira final da Liga dos Campeões - foi campeão pelo Barcelona em 2006 e 2009.

"É incrível. Vamos à final, é um sonho para todos os jogadores. Temos que aproveitar este momento antes de disputar a final da Copa da Itália", comentou o holandês Wesley Sneijder, se referindo ao jogo do dia 5 de maio, contra a Roma.

Para o brasileiro Maicon, a expulsão do compatriota Thiago Motta, ainda no primeiro tempo, contribuiu para deixar o jogo mais dramático para a Inter. "Sofremos bastante para chegar a esta final. Não tivemos muitas chances depois que perdemos Thiago Motta", admitiu o lateral. "Mas depois disso foi uma questão de força de vontade".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.