Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

'Foi no Morumbi que eu praticamente nasci', diz Ceni após boa estreia em estádio

Ex-goleiro comandou a equipe pela primeira em casa

Estadao Conteudo

13 Fevereiro 2017 | 09h15

Um dos maiores ídolos da história do São Paulo, Rogério Ceni fez a sua primeira partida no Morumbi como técnico do time na tarde deste domingo. E marcou de forma positiva este confronto histórico para a nova fase de sua carreira ao comandar a equipe na goleada por 5 a 2 sobre a Ponte Preta pela segunda rodada do Campeonato Paulista.

Após o duelo, o comandante festejou a boa atuação do time tricolor, que chegou a sair perdendo antes de reagir rápido e virar o placar já na primeira etapa. E, como não poderia ser diferente, o treinador lembrou de sua identificação com o estádio, que ele considera a sua segunda casa e onde atuou por mais de duas décadas como goleiro são-paulino.

"Fico muito feliz cada vez que volto aqui, porque foi no Morumbi que eu praticamente nasci para o futebol. Joguei quatro meses pelo Sinop e vim para cá. Morei desde os 17 anos, passe por todas as dificuldades e os momentos que me ajudaram a ter maturidade na carreira", ressaltou Ceni, em entrevista coletiva, na qual depois falou sobre o peso do fato de o estádio ter recebido 50.952 torcedores neste duelo contra a Ponte Preta.

"Dou muito valor à instituição, ao clube. Quando vejo Morumbi com 50 mil pessoas, conto aos jogadores que um profissional que sobe o túnel dos vestiários e encontra esta atmosfera se torna um profissional diferente. Um cara que faz isso 100, 200 vezes, como Bruno, Lugano, e Rodrigo Caio, mostra que é alguém diferente", completou.

Já ao analisar a atuação tricolor, o comandante exaltou o domínio imposto pela sua equipe na maior parte da partida, que marcou a primeira vitória do São Paulo neste Paulistão após uma decepcionante derrota por 4 a 2 para o Audax em sua estreia na competição, em Barueri.

"Me deixa feliz fazer cinco gols, ter mais de 70% de posse de bola, incrivelmente chutar metade do que contra o Audax. Mas ter a felicidade de ter conclusão melhor, fazer mais gols e dominar 90, 95% do jogo", analisou Ceni, para depois enfatizar: "No momento que tomamos o gol tínhamos 75% de posse de bola. Os gols (sofridos) são pequenos erros, ajustes que temos de fazer. O que tem de ser ressaltado é a dedicação de todos, a marcação pressão, alta durante praticamente todo o jogo".

Agora, o São Paulo irá iniciar a preparação para encarar o Santos, quarta-feira, às 21h45, na Vila Belmiro, pela terceira rodada do Paulistão. Atual bicampeão, o time alvinegro jogará embalado por duas vitórias em dois confrontos até aqui.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo FC Rogério Ceni futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.