Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

'Foi o melhor jogo do Corinthians na temporada', diz Carille após empate

Técnico aprova atuação da equipe no 0 a 0 diante do Santos, pelo Campeonato Paulista

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

10 de março de 2019 | 19h49

O empate com o Santos por 0 a 0 em Itaquera, neste domingo, foi o melhor jogo do Corinthians na temporada. A avaliação é do técnico Fábio Carille, que elogiou a partida, embora o time não tenha feito gols. "Sem dúvida, foi o melhor jogo do Corinthians na temporada. As chances que o Santos teve foram em erros nossos, de saída de bola. Eles jogaram no contra-ataque. Normalmente, as outras equipes estão jogando no contra-ataque contra eles. Então, saio muito satisfeito", afirmou o treinador em entrevista coletiva na Arena Corinthians. 

O treinador explicou a estratégia de forçar a marcação dos atacantes sobre os defensores do Santos, uma das iniciativas que fez o Corinthians dominar o primeiro tempo. "Nós acompanhamos alguns jogos que eles fizeram. Todo time que marcou eles em cima impôs dificuldade. Foi isso que a gente trabalhou de diferente. Com a bola, procuramos trocar muitos passes e envolver. Essa foi a proposta, que funcionou muito bem", disse o técnico.

Carille aponta uma tendência de crescimento para as próximas partidas, mas reclamou do calendário brasileiro e da falta de tempo para treinamentos. "A tendência é ser melhor. Agora entramos em outra sequência (de jogos). O campeonato não está legal. Se o Palmeiras tivesse mais tempo, poderia fazer melhores jogos. O Santos não fez um jogo legal contra o Palmeiras, não fez hoje e tomou de cinco do Ituano. O São Paulo também", disse Carille. 

"Enfim, isso não serve só para o Corinthians. Pegamos equipes do interior que vêm treinando desde novembro. O espetáculo, de uma forma geral, para os grandes, passa pelo calendário. O ideal são seis jogos por mês. Uma quarta tem jogo, a outra não. Se fizer isso, acredito que o torcedor e vocês vão acompanhar jogos melhores", completou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.