Folga não agrada ao Corinthians

O Corinthians teve vida curta na Copa dos Campeões. Surpreendido pela derrota para o Fluminense no domingo, o time agora terá de encarar três semanas de marasmo até o início do Campeonato Brasileiro. Nem mesmo os jogadores que estiveram na Copa do Mundo e praticamente emendaram a volta ao Brasil com a viagem para Belém gostaram muito da idéia."Prefiro muito mais jogar do que ficar só treinando", disse o meia Ricardinho. A única compensação da derrota para o jogador é que ele terá mais tranqüilidade para planejar o seu futuro. O São Paulo ainda não desistiu de contratar o jogador, mas o Corinthians prefere analisar uma proposta para o futebol do exterior e ainda há a possibilidade de permanência no Parque São Jorge.A única coisa que o meia não quer é que seu caso se transforme em uma novela. "Sinceramente esta é minha maior preocupação", diz. "Gostaria que esta definição não demorasse muito, até porque quando se tem família a gente tem uma série de fatores para pensar", lembrou o jogador. Enquanto o caso não se resolve, o jogador pretende continuar treinando com os companheiros, mesmo caso do volante Fabrício, que pode se transferir para o Paris Saint Germain.O atacante Deivid, que saiu de campo com uma contratura na coxa, deverá passar por um exame de ressonância magnética nesta terça, na capital, mas está otimista quanto a sua recuperação. "Já está doendo bem menos e creio que em uma semana vou poder voltar a treinar. Mas, preocupado mesmo, está o técnico Carlos Alberto Parreira. Com a eliminação precoce na Copa dos Campeões, o que vai impedir o time de adquirir justamente o que mais precisa: ritmo de jogo. "Vamos precisar fazer alguns amistosos durante o período de treinamento", avaliou o treinador. Para ele, o ideal é que, a partir da semana que vem, o grupo faça dois jogos por semana, um na quarta e outro no sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.